“Fomos embora de Pasárgada”…, e do Iran!

0
by on Setembro 1, 2013 at 12:48 pm

 

Em Pasárgada - tumba de "Cyrus The Great"

Em Pasárgada – tumba de “Cyrus The Great”

Quem já não ouviu esse poema que levante a mão! Manuel Bandeira declamou que indo embora para Passargada, sendo amigo do Rei teria “a mulher que eu quero na cama que escolherei”. Pois bem Manuel…, ficaria desapontado de ver o que restou por lá!!! Nem mulheres, nem Rei e muito menos camas…

Shiraz é a cidade de partida para um Day-Tour que engloba Persépolis, melhor preservada e Pasárgada, ambas antigas capitais da Pérsia! O acesso por conta própria é difícil e o tour tem a vantagem de te contar um pouco da história dos grandes reis como: Ciro O Grande, Dárius e Xerxes que juntos formaram o Império Persa!

Hoje o que vemos são apenas algumas ruínas do que um dia já abrigou palácios, tumbas, salões imperiais e escadarias! Em Persépolis tem mais coisa para ver que em Pasárgada onde só restou mesmo a tumba de Ciro (o tal amigo de Manuel…). Tudo foi destruído por (mais uma vez): Alexande O Grande! Presente de grego é o que deixa por onde passa esse Alexandre! Tacou fogo em tudo!!!

 

Mesquita em Shiraz

Mesquita em Shiraz

Mas das poucas coisas que vemos brotam histórias incríveis como o pedaço da escadaria que mostra diferentes povos antigos que vinham de lugares tão longe quanto a África para trazer presentes ao Rei na semana do ano novo Persa que não acontece na mesma data que o nosso pois o calendário deles é totalmente diferente até hoje em dia! Esqueci de dizer isso antes: eles estão em outro século e nem o dia de hoje é o mesmo dia de hoje para eles! Deu a maior confusão quando compramos as passagens de ônibus pois pedimos para o dia 24/08/2013 mas essa data para eles só seria daqui há 620 anos…

Fora o dia de Persépolis e Pasárgada, ficamos mais um em Shiraz que também tem seus palácios e mesquitas além de um ou outro museu mediano e o bazar…, claro! Um não…, vários! Cada um vendendo um tipo de coisa! Mas duas coisas foram para nós mais interessantes em Shiraz: o mausoléu de Shah Cheragh e a tumba do poeta Hafez.

 

 

 

O mausoléu - Shiraz

O mausoléu – Shiraz

No mausoléu, construção gigante e linda por sinal, pessoas de várias cidades vem em peregrinação prestar sua homenagem e rezar ao lado das tumbas de dois seres sagrados (IMANS) na religião islâmica. Tive que entrar de chador e tomei esporro da galera quando ele saiu da minha cabeça por um momento após ter tropeçado nele mesmo! Estes sim, são os (as) xiitas radicais e sim, eles existem de monte pelo Iran! Quanto menor a cidade e menos desenvolvida, mais fanatismo religioso vemos!!!

Dentro do mausoléu - rica decoração

Dentro do mausoléu – rica decoração

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tumba do poeta Hafez - idolatrado há anos!

Tumba do poeta Hafez – idolatrado há anos!

 

Por outro lado…, a tumba de Hafez, poeta que foi idolatrado até mesmo por Goethe é uma sensação! Ela fica em um jardim super agradável e um monte de gente vai no fim de tarde rezar para ele e ler poesias na sua tumba! Eles acham que os livros de Hafez funcionam como aquele “Minutos de Sabedoria” onde você faz um desejo, abre em uma página qualquer e alí estará a resposta, em versos! Muita galera nova e moderna e os meninos ainda decoram suas rimas para mandar às meninas pelo celular! Fofos! O livro que mais vende nas bancas de cada esquina do Iran é um de versos para namoro! Já que eles não podem mostrar seus corpos sarados…, declamam!

Livro de "cantadas" em poesia - o mais vendido entre os meninos!

Livro de “cantadas” em poesia – o mais vendido entre os meninos!

 

Máscara - mais fácil ser pós plástica de nariz do que pela poluição ou imunossupressão

Máscara – mais fácil ser pós plástica de nariz do que pela poluição ou imunossupressão

 

 

Aliás ser bonito principalmente de rosto conta muito por aqui onde pouco de cada pessoa é mostrado sob roupas largas e pouca conversa é trocada entre pretendentes pelo medo da repressão da “polícia dos bons costumes”. Esse é o motivo de tanta plástica de nariz (homens e mulheres) e implante de cabelos pelos carecas! Não…, aqui no Iran não são deles que elas gostam mais! Ou implanta cabelo ou vai ser um solteirão…

Algumas outras descobertas fizemos ao longo dos dias: parece que o xadrez veio da Ásia antiga e foi inventado em áreas persas como “o jogo do Xá”. E o pomegranado (fruta maravilhosa) que tanto falei em posts anteriores é nada mais nada menos que a nossa romã…, só que gigante!

Pomegranado - romã gigante

Pomegranado – romã gigante

 

O Corão - várias cópias em todas as mesquitas

O Corão – várias cópias em todas as mesquitas

 

É, o Iran foi realmente um mar de aprendizado, muito melhor do que achamos que seria e de uma beleza única! Fomos embora de Pasárgada, Persépolis, Esfahan e do Iran todo muito satisfeitos com o que vimos e recomendamos a viagem pelo menos uma vez na vida e LOGO…, antes que as coisas mudem…, antes que os jovens cresçam e consigam finalmente globalizar as ideias e o país! Antes que os jovens sejam ouvidos… Torceremos para isso!

 

Os luxuosos ônibus do Iran - VIP total!

Os luxuosos ônibus do Iran – VIP total!

Próxima parada: O PARAÍSO!!!!!! Tailândia…, você chegou, finalmente nos nossos planos e nas nossas vidas viajantes! Aí vamos nós!

As ruínas de um grande império - Persépolis

As ruínas de um grande império – Persépolis

 

Entrada de Persépolis

Entrada de Persépolis

in Iran, Oriente Médio

Esfahan: a mais linda cidade Persa!

0
by on Agosto 30, 2013 at 4:01 am

 

A mesquita principal da praça. Todas são voltadas para Meca.

A mesquita principal da praça. Todas são voltadas para Meca.

 Foi eleita a melhor cidade do Iran por nós assim que nos vimos em frente à uma das praças mais bonita do mundo! Fica pau-a pau com a da Cracóvia (Polônia) que talvez ganhe por muito pouco por seus bares e restaurantes ao redor. Essa cultura no Iran não existe e são até difíceis de achar lugares para comer ou beber algo, exceto as famosas “Teahouses”, casas de chá super decoradas com carpetes e cortinas! Também, pra quê restaurantes? Iriam falir, perdendo mercado para os diversos picnics espalhados pela praça que também é a segunda maior praça do mundo ficando atrás só da de Pequim! As famílias levam tudo desde belisquetes até cooler e panelas em bujões de gás!

As mesquitas de Esfahan são enormes, todas de mosaicos ladrilhados super bem decorados e pintados com diferentes tons de azul e detalhes em amarelo e rosa! Azul é a cor de Esfahan! Os palácios antigos dos Xás são cobertos internamente com um grande mosaico de espelhos, o que dá um brilhantismo meio brega no ar se não fossem as caríssimas peças de arte espalhadas, presente de reis e rainhas de outros países! Só relógio dado pela Rainha Vitória tinha de monte!

 

As lindas "Teahouses" - casas de chá

As lindas “Teahouses” – casas de chá

 

Bife na entrada do Bazar

Bife na entrada do Bazar

 

O Grande Bazar nunca falta em nenhuma cidade persa mas o de Esfahan é o que tem as coisas mais bonitas, todas artesanais! Nos perder por suas ruas e ruelas cobertas por um teto alto e bem ventilado foi um prazer, principalmente ao meio dia quando o sol estava de rachar e eu (Mel) quase prestes a arrancar toda a roupa num ataque de calor sob o véu! Dava pra fritar um ovo na minha cabeça! Com o sol e o tempo ele vai te cozinhando e te irritando tanto que a primeira coisa que 80% das mulheres faz em um avião que deixa o Iran é arrancar o véu da cabeça! E olha que não são só as gringas…

 

Mosaico de espelhos dentro de todos os palácios!

Mosaico de espelhos dentro de todos os palácios!

Mas falar de Esfahan e não falar sobre meu livro favorito seria um pecado! “The Physician” foi traduzido erradamente para o português como “O Físico” onde deveria se chamar “O Médico”. E nessa perdemos feio para Portugal que corretamente traduziu o título para “O Médico de Isphahan”. Conta a saga de um barbeiro-cirurgião (viajante curandeiro e que também fazia serviços de barbeiro) que sonhava em chegar (e chegou) na Pérsia para aprender medicina com um dos primeiros médicos da história: Avicena e seus discípulos! Um encanto de livro que li mil vezes durante e após a faculdade. No ano de 1020, Avicena deixou para o mundo médico uma relíquia: “O Cânone da Medicina”, um dos primeiros livros reconhecidos e sem dúvida o mais famoso e estudado pelas faculdades medievais. Tinha só 5 capítuloshhhhhhhhhhhhhhh                              (I- Generalidades, II- Matéria médica, III- Doenças da cabeça aos pés, IV- Doenças não específicas de órgãos, V- Drogas compostas): que SONHO…, hein amigos médicos??? Considerando os mil livros caros e pesados que temos que comprar e ler durante a faculdade… Também sabiam muito menos do que sabemos hoje mas Avicena tinha na lista de suas doenças uma que não temos: “O MAL DE AMOR”. E a cura??? Mandava casar os “doentes” com suas amadas, simples assim!!!

 

A belíssima praça de Esfahan

A belíssima praça de Esfahan

Cada uma das cidades do Iran guarda relíquias da Pérsia antiga pois cada Xá ou invasor que dominava a Pérsia logo mudava sua capital e mandava construir coisas belíssimas na nova capital escolhida por ele. Assim temos ainda Shiraz, Persépolis e Paságarda para contar mas já adianto: Esfahan é imbatível!!!

Ficamos dois dias e meio e foi suficiente antes de pegarmos mais um ônibus V.I.P. (7h) até Shiraz.

Deixo vocês com as fotos que falam mais que qualquer palavra… (EM BREVE MAIS FOTOS EM “IMAGENS”…, atualizei até a Índia por enquanto!

As pontes: também lindas!!!

As pontes: também lindas!!!

 

Mesquitas: obras de arte persa

Mesquitas: obras de arte persa

 

 

 

 

 

 

 

 

A praça iluminada à noite

A praça iluminada à noite

 

 

in Iran, Oriente Médio

Tehran: a capital!

0
by on Agosto 28, 2013 at 9:08 am

 

Uma das várias e lindas mesquitas

Uma das várias e lindas mesquitas

 Depois do post anterior de Xá pra lá…, Xá pra cá, não vou cansar vocês com mais política mas não posso deixar de reforçar nossa empatia total pelos iranianos. Sem dúvida fazem o país parecer mais bonito do que já é apesar dos vultos pretos perambulando pelas ruas com 42 graus marcando no relógio! O cúmulo foi um deles que nos viu procurando um restaurante no livro, saiu do seu caminho, foi com a gente até o restaurante, sentou e nos esperou comer só para poder conversar! Brasileiros desconfiados que somos já achamos que ele pediria a comida para que no fim nós pagássemos mas o coitado só pediu uma água e não tinha nenhuma intenção ruim do tipo levar a gente para uma loja ao final. Queria só ser simpático e agradável!

Assim eles são e uma iraniana super legal que conhecemos comprou para nós um maravilhoso “faludeh” que é um sorvete de açafrão com uns fiapos brancos tipo coco ralado e calda de limão, típico daqui! E ainda me ensinou poesias de Hafez ao lado de sua tumba que visitamos juntas, poeta iraniano antigo que tem seus versos tão declamados e idolatrados quanto os do Corão, “Bíblia Islâmica”. Assim eles são…, injustamente generalizados pelo mundo que não os conhece! E quando se diz isso para eles, ficam tão emocionados que não é de surpreender se te devolverem como resposta um olhar cheio de lágrimas!

Jovens iranianos

Jovens iranianos

 

Com toda a sinceridade, o Iran foi um dos países mais legais da viagem e além das pessoas amáveis tem um turismo muito rico e de cair o queixo de beleza! Além de tudo é muito mais seguro que andar pelas ruas do Rio! País dos bazares, parques, mesquitas lindas, museus, deserto, ruínas, palácios, mausoléus imperiosos e pasmem…, até mesmo praia no famoso Golfo Pérsico!

Chegamos em Tehran, capital que dizem ser caótica pelo trânsito e motoristas loucos mas para quem veio da Índia, isso aqui é o paraíso! Não concordamos com o que lemos que Tehran não tem muito para ver!

 

Muro da antiga embaixada americana onde os diplomatas foram aprisionados!

Muro da antiga embaixada americana onde os diplomatas foram aprisionados!

Gostamos de cada lugar que fomos: o bazar gigantesco, o museu da Guerra Iran-Iraque e o das jóias (imaginem um trono gigante todo de diamantes, ouro e pedras preciosas?), os palácios dos antigos Xás, o muro pintado com figuras anti-americanas e anti-Israel da antiga embaixada americana onde aconteceu a invasão e sequestro dos diplomatas em 79 (história do filme Argo) e outros museus como o do carpete e o do filme, indústria forte por aqui apesar da censura do Líder Supremo. Agora vou até ver com outros olhos os filmes iranianos que passam nos cinemas alternativos de Botafogo e Ipanema!

Museu da Guerra Irã-Iraque. Briga pelo petróleo!

Museu da Guerra Irã-Iraque. Briga pelo petróleo!

Mas legal mesmo é observar o movimento dos parques e conversar com os iranianos jovens ou velhos que nos abordam pelas ruas! Uns falam bem inglês, outros quase nada mas também param para conversar! Teve uma senhora que nos contou toda sua vida em mímicas e conseguimos entender que ela perdeu 2 filhos em um acidente com uma “mechin”. Máquina, carro…, não importa mas entendemos! Tivemos o grande prazer de almoçar com um casal de brasileiros que moram em Tehran e termos uma longa conversa sobre o país (obrigada pelo almoço Carol e Rafael)!

Com todos esses papos, descobrimos várias coisas legais:

Os bazares e os temperos milenares

Os bazares e os temperos milenares

 

. Como eles fazem para conhecer alguém e namorar se homens e mulheres não casados não podem se relacionar em público e nem em casa? Existe uma rua em Tehran (e cada cidade tem a sua) que o trânsito para na quarta à noite! Quarta aqui é a nossa sexta pois o fim de semana deles é quinta e sexta e não sábado e domingo! Homens em um carro e mulheres em outros trocam olhares, conversas e até celular, literalmente! Quem tem dinheiro compra um celular baratinho para jogar no carro da menina que gostou! Se der certo, trocam de carro, fecham os vidros e pronto: ficam longe dos olhos da polícia do Xá!

. O nosso sinal de OK com o polegar para cima aqui é o mesmo que mandar eles para “aquele lugar”. É super feio e toda hora a gente faz sem querer ao invés de colocar a mão no coração que seria o certo! Morro de vergonha quando esquecemos…

. Sanção econômica que nada! Vende-se de tudo: Coca-Cola, iPhone, Pepsi, Kit-Kat e por aí vai… Uma lista de produtos americanos que ninguém sabe de onde vem mas sabe como comprar! As grandes redes não existem como

Os tapetes persas

Os tapetes persas

McDonald’s ou KFC mas existem cópias perfeitas!

. Como usar o “hijab” sem cair: elas tem um truque infalível e da moda que é fazer um rabo no alto da cabeça com um pom-pom gigante e prender o “hijab” nele! Assim não ficam com a cabeça oval (que é “old fashion”) e grande parte do cabelo fica à mostra dando um charme no visual!

. Como achar uma prostituta e como fazer para entrar em um hotel com uma mulher que você não é casado? É uma hipocrisia sem tamanho!!! Elas geralmente ficam em lugares específicos com seus chadores ou mantas ao avesso para serem reconhecidas. Daí o cara se aproxima, fazem um acordo e… CASAM!!! Inacreditável mas aqui existe um tal de um casamento temporário com certificado e tudo que pode ser desfeito em horas só para estas situações! E como em todo casamento o homem tem que pagar um dote para a esposa…, pronto: prostituição legalizada!!! Dão jeito pra tudo…

. O jejum do Ramadan: teoricamente tem um mês no ano que todos da religião islâmica têm que fazer jejum durante o dia até mesmo de água. Pergunta se a galera não come escondido??? A mesma coisa para as rezas que são obrigatórias 5X/dia. No meio de um monte de “já rezei” ou “vou rezar” deixam passar várias…! Por isso que os mais religiosos também não concordam com a obrigatoriedade dos costumes pelo goveno! Acham que isso acaba afastando os jovens da religião e acho que têm razão!

O banheiro oriental do nosso quarto de hotel - buraco no chão!!!

O banheiro oriental do nosso quarto de hotel – buraco no chão!!!

 

. As festas escondidas: principalmente em Tehran elas vão até o dia seguinte na maior altura, com mulheres vestida como querem (saias curtas, tops e etc…) e com álcool liberado! Pergunta se os vizinhos denunciam? Nenhum! Ficam acordados juntos mas não estragam os raros momentos de liberdade dos jovens! Tem que saber onde fazer…

. Picnics: o maior passatempo dos iranianos! O conceito de família é bem forte aqui e geralmente saem todos juntos para um picnic no parque nos fins de tarde! É super legal de ver e dificilmente você não será convidado para sentar junto!

. O “Ta’ arof”:  no Iran se alguém fala que algo que você comprou não precisa pagar (Ex: corrida de taxi ou restaurante), INSISTA pelo menos 3 vezes! Isso é só um “ta’arof”, traduzindo: gentileza iraniana! No fundo eles esperam que você pague mas não gostam de cobrar ou desagradar! E evite elogiar algo que eles têm pois certamente vão querer te dar mesmo não querendo! O engraçado é que depois que conseguíamos pagar, Bife ainda chorava o desconto…

. “Emigrar é a solução para mim! Não concordo com nada e não posso fazer nada.  Vou tentar ir para a Áustria mas quero mesmo é estudar na Alemanha só que o visto permanente é mais difícil! Adoro Hollywood e os EUA!” – declaração de um estudante de 23 anos que conhecemos.

Os famosos picnics e o sorvete de açafrão

Os famosos picnics e o sorvete de açafrão

. Mais sobre as mulheres: vimos muitas jovens até com cara de modernas mas todas de preto em um calor de 40 graus! Adivinhem porquê? O preto é chique e emagrece em qualquer lugar do mundo! Santo pretinho básico!!!

As cervejas de sabor: até criança bebe!

As cervejas de sabor: até criança bebe!

 

. Cerveja de sabor: tem cerveja??? Tem sim senhor mas sem álcool, claro! E de sabores dos mais diversos: uva, laranja, cereja… Crianças adoram! Vai ser um coma alcoólico geral se um dia liberarem o álcool z

Pois é gente: mais mitos que verdade, né? Quem imaginava que o Iran seria assim! E olha que ainda nem cheguei em Esfahan, Shiraz e Persépolis, cidades mais turísticas e sedes de construções antigas das mais lindas do mundo!!!

Ficamos dois dias em Tehran com gostinho de quero mais e partimos de ônibus para Esfahan, cidade que foi sede de um dos impérios onde o Xá da época mandou fazer construções belíssimas! Aliás os ônibus daqui são baratíssimos e um luxo só! Pagamos 6 dólares em um ônibus VIP “quase leito” e com lanchinho incluído (7h de viagem)! Detalhe que o ônibus noturno dá até jantar, igual a avião! O Iran todo é bem barato e achamos tudo por metade do preço do nosso guia de viagem…, pelo menos até darem um jeito na inflação!

in Iran, Oriente Médio

IRAN: muito mito pra poucas verdades!!!

0
by on Agosto 24, 2013 at 12:38 pm

 

A arquitetura fantástica do Iran e mulheres no fim de tarde!

A arquitetura fantástica do Iran e mulheres no fim de tarde!

O que vocês vão fazer lá? É perigoso, cuidado!!!” Ouvimos de todos com exceção dos apaixonados pelo desconhecido e aventureiros como nós! Minha mãe quase arrancou os cabelos e eu mesma perguntei mil vezes pro Bife antes de começar a ler melhor sobre o país: “tem certeza?” Nesse momento só sabia que teria que andar toda coberta, tinha medo de chegar no hotel e ter que provar nosso casamento, o que fora as alianças, não teria como já que não mudei meu nome e não trouxemos a certidão! No Iran só pode dormir junto quem é casado… Fiquei treinando mil vezes como prender o lenço na cabeça sem aparecer um dedo do cabelo já que não permitem nem ajeitá-lo nas ruas se cair com o vento! Existe para isso a “polícia dos bons costumes” ou “polícia dos Xás” que é rigorosas com mulheres que não seguem a regra de vestimenta islâmica exigida pelo governo (“dress code”) e que vale até mesmo para turistas e não islâmicos (minoria de menos de 10%). Fora o visto quase impossível de tirar que contei no post anterior a esse!

Iran ou melhor: Pérsia. Um museu a céu aberto

Iran ou melhor: Pérsia. Um museu a céu aberto

 

Por outro lado queríamos ver de perto como funciona a terra dos Aiatolás, as xiitas “damas de preto”, a rica história da antiga Pérsia e os ditos malvados iranianos antiamericanos e favoráveis à construção de bombas atômicas!

Até aí, pânico e ignorância completa nos separava desse maravilhoso país (acreditem!) que conforme vamos desmistificando e lendo mais sobre seus costumes e pessoas, deixamos cair uma máscara pesada que nos é imposta pela mídia e pelo seu próprio governo que, semelhanças à parte, não representa os ideais da sua atual população!

O IRAN É SIMPLESMENTE INCRÍVEL!!!!!! Estamos encantados com tudo e com todos (exceto governantes)!

Mas antes de falar sobre mitos e verdades, vou resumir um pouco da história, fundamental para o entendimento do Iran nos dias atuais!

Bom, tudo começou há muitos mil anos atrás quando o Império Persa com seus tapetes de dar inveja quase dominou o mundo! Localizados bem no meio da rota da seda que vinha da China até Constantinopla (atual Turquia), eram os reis do comércio de pedras preciosas, ouro, especiarias, seda e por aí vai… Sua localização estratégica fez com que sofresse mil invasões: Alexander o Grande (meu ídolo histórico…, o do Bife é o Ramsés), romanos, árabes, turcos otomanos, mongóis e etc… Mas foram os árabes que deixaram a maior herança para o Iran dos dias de hoje: o islamismo e o califato! Governo comandado pelos líderes religiosos islâmicos ou Xás! Quem nunca ouviu falar de Reza Pahlavi e Aiatolá Khomeini??? Lembro que a jovem Fla uma época gritava no maraca e repetíamos quando criança sem nem saber o que dizíamos: “Aiatolá… Khomeini…, Aiatolá…, Khomeini!!!”

 

À (esq) Khomeini e à (dir) Khamenei. Foto dos Líderes Supremos espalhadas por todo canto

À (esq) Khomeini e à (dir) Khamenei. Foto dos Líderes Supremos espalhadas por todo canto

Pois bem, chegarei nele! Vários Xás governaram a Pérsia que passou a se chamar Iran sobre as regras e costumes do islamismo xiita (diferente em alguns conceitos do sunismo árabe). Mas Rússia, Inglaterra e anos depois EUA, com a descoberta do petróleo abundante nessas bandas, cresceram os olhos e deram seu jeitinho depois da vitória nas guerras mundiais de controlar o país e os Xás sem o colonizar de fato! Arquitetaram um golpe de estado com a CIA trabalhando nos “undergrounds” da embaixada americana em território iraniano que levou ao poder o Xá Reza Pahlavi. Este “abriu as pernas” para o ocidente e teve toda a chance de mudar a história do país se não tivesse sido “aberto demais”. Modernizou o Iran, melhorou a educação e o direito das mulheres que passaram a poder votar, dirigir e tirar seus véus… Ele instituiu uma lei que PROIBIU as mulheres de usar o chador! Pô…, também foi longe demais e exagerou… Muitas delas gostaram mas o que aconteceu com outras que nunca o tinham tirado em público foi uma vergonha absoluta!!! Ficaram anos e anos sem sair de casa com medo de serem presas por usarem o véu e com vergonha demais para andar nas ruas sem ele! Imaginem se chega um Lula da vida um dia e institui uma lei no Brasil onde todas as mulheres seriam obrigadas a andar nas ruas de biquini??? Assim as mais recatadas se sentiram: nuas sem seus véus!

Bandeira do Iran e Aiatolá Khomeini

Bandeira do Iran e Aiatolá Khomeini

 

Com essas mudanças radicais e rápidas demais para os muçulmanos mais devotos somadas a uma crise mundial que atingiu a economia do país e aos gastos exagerados do Reza Pahlavis em uma vida glamurosa, a oposição cresceu, não só dos mais religiosos mas também estudantes e de grupos insatisfeitos com a crise! Surge então como líder desse movimento contra os Pahlavis nada mais nada menos que Aiatolá Khomeini! Com a pressão do povo, Reza Pahlavi fugiu do país e Khomeini assume como primeiro Líder Supremo fundando a República Islâmica do Iran onde até o presidente é submetido às ordens do Líder Supremo Religioso que tem o máximo poder. A famosa “ditadura dos Aiatolás”! Ao contrário do que muitos pensavam, Khomeini acabou sendo radical demais no sentido inverso, impondo novamente o conservadorismo islâmico sobre a população e aos jovens que já tinham se adaptado a um mundo mais moderno apesar de não serem à favor dos gastos exorbitantes do antigo Xá. O Aiatolá manda matar nas escuras todos os líderes de outras facções que lutaram ao seu lado contra Pahlavi e fica absoluto no poder sedimentando o clero acima de todas as coisas por anos. Como muitos viram no filme Argo, ganhador do Oscar, vários protestantes invadiram a embaixada americana em 1979 e mantiveram diplomatas sobre sua custódia por mais de 1 ano. Acusavam os EUA de controle indireto sobre Reza Pahlavi e o país.

 

Mausoléu de Aiatolá Khomeini e o povo muito gente boa..., até os soldados!

Mausoléu de Aiatolá Khomeini e o povo muito gente boa…, até os soldados!

Depois da morte de Khomeini, outro Líder Supremo assumiu (Khamenei) e a cada eleição presidencial ele é que escolhe os 8 candidatos que vão concorrer dentre mais de 500 inscritos (aqui no Iran qualquer um pode se inscrever para concorrer à presidência desde que preencha critérios mínimos). Nem preciso dizer que são todos homens claro e ultra mega religiosos, claro! Mulheres até se inscrevem mas nunca são eleitas pelo Líder Supremo entre os 8! Este ano, para surpresa de todos ganhou um presidente dito “moderado” no primeiro turno. Era o único dos 8 que não era conservador. Mas o povo não espera muitas mudanças e já não se revolta mais contra o sistema! Sabem que o presidente não tem voz e nem poder diante do clero. A vez que foram para as ruas manisfestar há uns anos atrás foram destroçados pelo exército a mando do Líder Supremo. Muitos morreram…, todos se calaram… 

Um dos muitos amigos que fizemos no Iran: para nós foi o povo mais simpático e hospitaleiro do mundo!

Um dos muitos amigos que fizemos no Iran: para nós foi o povo mais simpático e hospitaleiro do mundo!

 

Tá…, OK! Isso tudo pra dizer que o Iran de hoje não é o mesmo que nos é mostrado na televisão! O povo das ruas não é o mesmo que aparece gritando “morte a América e a Israel!” O sonho dos jovens é poder sair do país, passar no Tofel ou qualquer outro teste de nivelamento da língua inglesa, estudar e morar fora. Alemanha, Áustria e até mesmo EUA são os destinos dos sonhos! Quase todos falam inglês, o que pra gente foi ótimo e são de uma simpatia sem igual! Namoram escondido já que homens e mulheres não podem sair juntos nas ruas se não forem casados! Bebem álcool do mercado negro…, proibido no país por causa das regras islâmicas… São jovens afinal, como qualquer jovem do mundo! Querem mudanças e nos abordam nas ruas com sua carência de visitantes estrangeiros para conversar, saber como é o mundo lá fora  e os países que provavelmente irão negar o visto para qualquer turista iraniano. Pedem quase de joelhos para que a gente conte para o mundo que eles não são “maus” e que o país não é o que ouvimos falar por aí…! Nos convidam para suas casas e oferecem almoços e jantares (já fomos convidados para 4 casas). São contra tudo mas não podem ser claramente contra nada e o medo até de falar sobre política é nítido quando o assunto vem à tona! Espiões do Líder Supremo e sua polícia estão por todos os lugares, prendendo namorados, exigindo que as mulheres mais moderninhas coloquem melhor o “hijab” tampando mais os cabelos e espalhando o medo!

As famílias andam sempre juntas e esta me ensinou a falar os números em Farsi (língua do Iran). Depois nos convidaram para almoçar!

As famílias andam sempre juntas e esta me ensinou a falar os números em Farsi (língua do Iran). Depois nos convidaram para almoçar!

 

Iraniana em um café de Tehrân: moderninha!

Iraniana em um café de Tehrân: moderninha!

Aliás, mulheres são um capítulo à parte! Achamos que só veríamos burcas e chadores pretos (ao final explicarei a diferença), que nos olhariam de forma fulminante por não estarmos iguais e o que vimos? Mulheres super modernas, de calça jeans e blusas com mangas e que cobrem a bunda (exigido roupas largas), saltos, super maquiladas, óculos escuros de marca e com lenços na cabeça dos mais coloridos e que deixam a mostra quase todo o cabelo! Percebemos que muitas andam com um curativo no nariz e daí, pesquisando, descobrimos que o Iran é o país com o maior número do mundo de cirurgias plásticas no nariz!!! É super chique mostrar nas ruas que você fez e um sinal de status entre as mulheres: quanto mais arrebitado e artificial melhor! Ficam com o curativo mais tempo que o necessário só para os outros notarem! Enquanto em qualquer outro lugar do mundo se nega até a morte, me contaram que umas andam com curativo mesmo sem terem operado…, só pra fingir! Muito doido! A maquilagem definitiva na sombrancelha é a regra e muitas colocam silicone nos peitos e bundas! Salões de beleza existem mas são escondidos e… lotados! Também é moda pintar o cabelo de loiro! Ou seja, por debaixo dos panos, de recatadas não tem nada! São muito mais avançadinhas que no Egito ou no Qatar, países também islâmicos! Descobri que o islamismo prega o sexo como atividade recreativa e não só para procriação…, por isso elas querem estar sempre belas!

Mas como “toda brincadeira tem um fundo de verdade”, de onde vem a fama de terroristas, odiadores do mundo ocidental e favoráveis ao rearmamento nuclear?

Muito da fama vem do seu vizinho Afeganistão, este sim, islâmico radicalíssimo com mulheres de burca e dotado do grupo terrorista mais temido do mundo moderno: o Talibã (o que não significa que todos do país são terroristas). Além disso a questão nuclear é uma verdade! Querem uma bomba, a mesma que tem EUA e Israel que é seu outro vizinho e maior inimigo! Mais por questão de defesa que ataque? Essa é a grande dúvida das grandes potências ocidentais! E para não me criticarem dizendo que vejo “flores” em tudo, têm sim pessoas, geralmente mais velhas, mais religiosas, adoradoras dos Xás e menos esclarecidas, que odeiam os EUA e todo o domínio que eles querem exercer no mundo e são total a favor do conservadorismo e do Líder Supremo! Infelizmente ainda não são poucas mas nitidamente até a cabeça dessas pessoas vem mudando!

A BURCA: pode ser com o rosto todo coberto ou aparecendo só os olhos. Mais usada no Afeganistão!

A BURCA: pode ser com o rosto todo coberto ou aparecendo só os olhos. Mais usada no Afeganistão!

Dessa história toda de bomba atômica veio o embargo econômico da União Européia e EUA ao país o que prejudicou muito a economia e a inflação que é tão bizarra que eles já tem notas de 1.000.000 (um milhão). Ficamos milionários quando chegamos e trocamos nossos dólares, o que tristemente não quer dizer muito aqui!. O povo já não aguenta mais tanto zero e da mesma forma que o Cruzado era para o Cruzeiro, o Tomam aqui é para o Rial Iraniano! Mas quem inventou isso foi a população para facilitar as contas! Nos confundimos todos no início mas depois nos adaptamos! Quando eles falam que alguma coisa custa mil na verdade custa 10 mil! Não é aceito nenhum cartão de crédito internacional seja em lojas ou ATMs e quem vem para o Iran tem que trazer tudo em dinheiro! Nosso plano de saúde internacional também não vale aqui, país considerado como “de risco”…, e mesmo que fosse não teriam como pagar ao hospital local já que a única maneira de entrar dinheiro estrangeiro no país é através da própria pessoa física! Não dá para fazer transferências bancárias!

O CHADOR: cobre tudo mas o rosto fica de fora. Pescoços também cobertos! Tive que vestir para entrar nas mesquitas

O CHADOR: cobre tudo mas o rosto fica de fora. Pescoços também cobertos! Tive que vestir para entrar nas mesquitas

Pensamos em tudo, compramos roupas novas, sacamos o dinheiro que precisaríamos, entendemos as regras e entramos! Fácil, fácil na imigração! Não perguntaram nada, só disseram: “Brasil? Ahhhh…, Ronaldo!!!” Aliás podem dizer o que for mas nosso futebol abre portas pelo mundo! De todos os Iranianos que conversamos 99% elogiou ou falou sobre nosso futebol. São fanáticos pelo esporte e estão todos orgulhosos da classificação do Iran na Copa de 2014!

O HIJAB: menos radical de todos. Tipo um lenço jogado. O mais usado no Iran principalmente grandes cidades e jovens. Usam um pompom por baixo para fazer volume e prender melhor! Imitei a sombrancelha que todas usam sem excessão!

O HIJAB: menos radical de todos. Tipo um lenço jogado. O mais usado no Iran principalmente grandes cidades e jovens. Usam um pompom por baixo para fazer volume e prender melhor! Imitei a sobrancelha que todas usam sem exceção!

Mas esquecemos de um pequeno detalhe: de comprar nossa passagem de saída do país antes de entrar nele! Ficamos tão felizes de conseguir vir depois de toda dificuldade do visto que nem lembramos que não poderíamos comprar pela internet a passagem da volta depois de sairmos da India! Quase todos os sites são boqueados e dificilmente aceitariam pagamento por cartão de crédito de dentro do Iran! Tínhamos em dinheiro à conta para nossos gastos diários e comprar a passagem com ele nos desfalcaria muito! Mas graças à nossa amiga e agente diretamente de Floripa não precisamos passar fome, lavar prato ou dormir no banco da praça! Ela conseguiu emitir a passagem pelo Brasil (Valeu Mi…!). Só depois dessa confusão descobrimos que nem todo site é bloqueado e talvez até dê para comprar sim daqui! Na dúvida, resolvemos!

Mais curiosidades e novidades do Iran nos próximos capítulos… IMPERDÍVEL!!!

Nosso traje completo para o Iran: calor de 42 graus (imaginem...)

Nosso traje completo para o Iran: calor de 42 graus (imaginem…)

in Iran, Oriente Médio

Resumão do Bife: “Mudança de planos” e O BANHO TURCO!

0
by on Março 29, 2013 at 7:50 am

Haya Sophia-Istanbul

Antes de sairmos do Brasil, estudei bastante sobre cada país, contimente, cultura, estrutura, vistos, custo, etc… Com isso montamos um roteiro que melhor se encaixasse dentro da regra da passagem de volta ao mundo. Logicamente que em uma viagem de 1 ano por todos os continentes, seria inevitável mudarmos nossos planos pelo meio do caminho. E isso já começou a acontecer no Oriente Médio.

Tínhamos planejado passar por Egito, Israel, Líbano, Jordânia, Qatar, Iran, Iraque Emirados Árabes e Oman. Imaginamos mais ou menos 50 dias para essa área.

Tudo tranquilo até confirmarmos que as fronteiras terrestres de Israel e da Jordania estavam fechadas para atravessar para o Líbano… Nossa única opção seria pegar um avião. Coisas das guerras que acontecem por aqui. Acreditam que até a fronteira com a Síria, onde a situação está tensa estava aberta? Mas nem rolava de ir…. E aí vemos que quanto menos desenvolvido mais caro é o lugar por onde andamos… Uma passagem da Jordânia para Beirute custava cerca de U$ 400,00!!! Um absurdo. Se ainda tivesse mil coisas para se fazer lá beleza mais nem é uma Australia da vida nem nada…. Nessa hora meu lado racional e meu lado de dentro da calça (bolso!!!) falou mais alto e decidimos que não iria valer a pena… Com U$ 400,00 atravessamos a Europa de avião se precisamarmos….

Bairro Sultanahmet – Istanbul

Decidido pular Beirute, resolvemos voltar para o Cairo (estávamos em Amman) de ônibus para economizarmos um pouco… Já estamos acostumados com essas viagens longas mesmo…blz…tudo bem até chegarmos na fronteira de Israel com o Egito (conforme a Mel já relatou). Do lado de Israel ótimo, todos simpáticos como da primeira vez que entramos…. Andamos 20 metros, entramos no Egito e aí amigo…, benvindo de volta ao 5º mundo!!!! O “animal” (só assim mesmo para decrever o atendimento) não falava nada em Inglês (como pode ser o cara responsável por “receber o turista” e não falar absolutamente nada!!!!). Bem tudo isso par dizer que o cara carimbou nosso passaporte com a estampa do Egito e acabou fudendo muito nossos planos!! Com isso, simplesmente vetou nossa ida para o Iran, já que lá eles não deixam entrar nem Israelenses nem qualquer pessoa que tenha passado por Israel… Nem mesmo 2 brasileiros que não tinham nada a ver com isso!!

 

Fiquei um pouco puto com essa história toda….mas beleza..são as regras e vai quem quer….. Em meio a isso estávamos esperando o visto da Mel para o Qatar ficar pronto…que como quase tudo por aqui para o mochileiro também é difícil e caro… Para vcs terem idéia o visto só pode ser obtido através de hotéis credenciados pelo governo ou agências. Tive que descobrir um hotel dentro do nosso budget que fosse credenciado….e aí o que o hotel faz? Enfia a faca na taxa do visto sabendo que tem uma tarifa de quarto mais acessível… vc fica refém do sistema!!! Fora o inglês “babuínico” da atendente do hotel que fica ainda pior pelo skype….blz….visto tirado fomos para o Qatar!!!

Resumindo bémmm (estou atrasado no blog) o Qatar valeu bem a pena para vermos o lado “rico” dos países muçulmanos. Bota rico nisso amigo…nunca vi tantos carrões sinistros e riqueza em um lugar só….bizarro!!! Fui no banheiro de um restaurante e quando fui lavar a mão fiquei até meio tímido de secar na toalha folheada a ouro….sequei no ar mesmo… Cinco dias tá mais do que de bom tamanho para conhecer o país. Se estivesse viajando sem ser com uma passagem de volta ao mundo não teria ido para o Qatar.

Nosso próximo detino seria os Emirados Arabes (Dubai e Abu Dabbi). O procedimento para arrumar o visto era o mesmo do Qatar e além disso li que todas as atrações eram pagas e muiiito caras. Para vcs terem uma ideia, vejam os preços das atrações:

1 – Ver o hotel Burj Al Arab (vela de barco) – U$ 70,00 (café da manhã)!!!! Vc nem pode entrar para tirar foto!!!! Tem que fazer reserva em um dos restaurantes!

2 – Subir no prédio mais alto do mundo – U$ 110,00!!! Pagar cem doleta para pegar o elevador e ver a vista é um pouco demais…..

Pretendíamos ir de ônibus do Qatar para Dubai, mas como passaríamos por um pedaço da Arabia Saudita, teríamos que arrumar um visto de trânsito. Quando entrei em contato com a embaixada da Arabia descobri que as dificuldades eram ainda maiores: teríamos que mostrar nossa certidão de casamento e a Mel teria que tirar foto igual a uma muçulma com a cabeça coberta!! Aí foi a gota d’agua para resolver que já estava legal….como pode??? Os caras não recebem turistas simplesmente porque fazem de TUDO para dificultar as coisas Parece que não querem que ninguém visite o país! Cobrir a cabeça igual a uma muçulma foi demais…imagina se um muçulmano fosse visitar o Brasil e o governo Brasileiro exigisse uma fotinho de biquini para entrar no Brasil??? Comparação meio idiota mas é mais ou menos essa a sensação que eles teríam….

Partimos do Oriente Médio tendo aprendido tudo sobre a religião muçulmana, suas verdades e mentiras, histórias etc….e no meu caso feliz de me livrar de ter que acordar todos os dias as 5:30 da manhã com os “chamados para reza” nas alturas dos megafones espalhados de 10m x 10m por todas as cidades!!!! Valeu MUITO mesmo….achei fantástica a experiência!!! Mais do que recomendo!!! A Mel fará outro passaporte e no segundo semestre iremos para o Iran e o Iraque saindo da India…..

Turquia:

Sultanahmet à noite – Istanbul

Simplesmente fantástico!!! Muito mais do que esperava!! O país tem uma estrutura muito boa para se viajar (mil anos na frente do Brasil), povo gente boa, comida idem, muita coisa para ver e não precisa de visto.

Gostei muito mais de Istanbul do que da Cappadocia. Achei o balão legal mas não tudo o que se ouve…”que é uma das coisas mais lindas do mundo”. Recomendo pagar um pouco porque vc vai socado e não da nem para se mexer…se te colocarem no meio da cesta não dá nem para ver o chão…pena que não deu para fazermos a linda costa do Mediterrâneo em função do tempo frio….

Não deixe de fazer o tradicional banho turco!!! Achei foda a experiência…..vou tentar resumir: entrei, paguei, ganhei 2 fichas e fui levado para um quartinho para trocar de roupa…um senhrozinho que não falava inglês me mostrou uma toalha e fez sinal para eu tirar a roupa e sair enrolado na toalha….só na toalha sem mais nada……me troquei e fui enviado para uma espécie de sauna grande aonde através de mímica falaram para esperar deitado em uma grande “pedra”…tipo um fondue na pedra…passados uns 20 minutos já estava suando bastante e veio um doido e mandou eu deitar de barriga para cima…de repente tomei uma baldada na cara!!! Estava começando…..o cara pegou uma espécie de esponja e começou a me esfoliar….começei a ver que o tal do banho turco seria na verdade um banho com depilação e corte de cabelo junto visto a força e “delicadeza” do cara…..cada esfregada eu achava que um pedaço do corpo ía acabar saindo….depois de uns 15 minutos assim ele mandou eu ir para outra parte do Hamman para esperar pela “massagem”…levantei e coloquei a mão na cabeça para ver se ainda tinha cabelo na cabeça….tudo ótimo até o momento….fui chamado e entrei na sala de massagem….um ogrão falou para deitar de costas e começou….sem sacanagem o cara que mais parecia um lutador de sumô tinha uma mão que parecia uma pata de elefante….depois de 3 meses carregando o mochilão minhas costas estão cheias de “nós” e o cara ao ver isso fez bem o seu trabalho tentado “resolver” essa questão…só não pedi para dar uma parada porque senão ia ser muita viadagem….imagina deitado numa toalhinha de sumô pedir para parar pq “ta doendo!!!” Acabada a massagem fui enviado para a ducha para tirar o óleo e voltei para o massagista acabar de lavar a minha cabeça…perdi cerca de 20% do meu cabelo….tomei outra ducha e voltei para o quarto para trocar de roupa…….SENSACIONAL a sensação depois que acaba tudo….vc fica totalmente relaxado!!! Achei imperdível……

20130329-095307.jpg

Canto superior direito – carimbo de Taba (fronteira Egito-Israel)

in Oriente Médio

Pamukkale: Parece mas não é! É Denorex…

0
by on Março 26, 2013 at 4:51 pm

 

Travertines

Caramba! Como as distâncias são longas na Turquia! Pegamos mais um ônibus noturno de 10h da Capadoccia até Pamukkale e mais uma manhã exaustos, dormimos com uma chuva lá fora que não parava de cair! Pamukkale é, como a Cappadocia,  também conhecido por seus extraordinários acidentes naturais  aqui chamados “Travertines”. Quem olha de longe vê uma geleira enorme com várias piscinas naturais no meio, de água azul cristalina. Mas ora…, como a água só congela nas bordas? E como permanecem intactas no verão como vimos nas fotos dos “folders”? Ilusão de ótica e falta de conhecimento nos fazem de cara pensar que tudo aquilo é gelo! Na verdade são gigantescas calcificações rochosas que através de anos vieram adquirindo este formato.

 

Também são milenares pois bem atrás existem ruínas de uma cidade romana (Hierápolis) que usavam o espaço como “spa” natural. Reza a lenda que as águas quentes ricas em cálcio provenientes dos vulcões próximos eram curativas e muitos peregrinos doentes vinham buscar a cura nas várias “piscinas”!

 Entre as travertines e as ruínas de Hierápolis nadamos na Cleopatra’s Pool, piscina natural construída para a rainha Cleopatra com água variando entre 35-38 graus! Uma delicia se vocês imaginarem o frio que está fazendo por aqui! Atípico aliás para a época do ano mas parece que a frente fria está por toda a Europa e muitos países estão debaixo de neve!

 O mais legal da piscina é que você nada por sobre as ruínas de Hierápolis submersas na piscina e deita em uma coluna romana para pegar um solzinho que resolveu aparecer e nos presentear neste dia!

Cleopatra’s Pool

 Pamukkale é só e tudo isso e UM dia é suficiente a não ser que queira se perder por lá em um dos resorts da cidadezinha que fica ao lado onde todos se orgulham de dizer que Nicholas Cage gravou Ghost Rider’s. Estava bem abandonada quando passamos por ela mas no verão parece que bomba!

 E tome ônibus de 10 horas…!!! De volta à Istanbul… e rumo à Bulgária!

Hierápolis

in Oriente Médio

Cappadocia: das “chaminés” de rocha ao fogo dos balões. IMPERDÍVEL!

0
by on Março 25, 2013 at 1:39 am

SÃO JORGE não podia ter escolhido lugar melhor para nascer! Quando a gente começa a viajar por muito tempo e a passar por vários lugares incríveis em um curto intervalo, acaba que o que é bonito demais perde um pouco sua fama para o “bonito para C.A.R.AAAA…..”. Traduzindo: como passamos por Petra recentemente achei que a Cappadocia ficaria para trás! Que engano!!! E isso é o legal desse mundo enorme: ele sempre tem uma carta na manga para te surpreender, te emocionar e te tirar o fôlego! Palmas de pé para o espetáculo que a “CappadoKKia” (como eles falam) nos oferece.

Haja japa...!

Haja japa…!

Escolhemos ficar em Goreme, cidade com mais acidentes naturais e para mim a mais charmosa e “roots”. E bem na nossa frente, trás e meio estavam elas, as famosas “CAVES” que dentro abrigam hotéis, restaurantes, lojas e etc… O formato é dado pela erosão com a proximidade dos vulcões e somado à brilhante arquitetura natural, pessoas que aqui viveram bem antes de Cristo acabaram a obra escultural transformando as rochas em uma cidade inteira! Não é a toa que aqui filmaram o filme Guerra nas Estrelas…, realmente é coisa de outro mundo! Imagino a pessoa que primeiro viu estas escavações nas pedras cônicas! Se fosse eu com certeza acharia que algum E.T. morou alí.

 

 Brinde com champs!

Brinde com champs!

Já de cara mergulhamos na cama do nosso super silencioso Cave Hotel e dormimos um dos melhores sonos da viagem pois o cansativo ônibus noturno de Istanbul durou 12 horas! E ansiosos pelo tão esperado passeio de balão, já “bookamos“ para o dia seguinte.

"Salve Jorge!!!"

“Salve Jorge!!!”

As 6:00 da manhã já estavamos sobrevoando os céus da Cappadocia junto com milhares de outros balões de turistas que coloriam a paisagem naturalmente linda abaixo de nossos olhos e pés! Indescritível a sensação e depois do Bungee Jump no Zimbabwe e paraquedas na Namíbia…, foi uma molezinha!!! É CARO (e já sabíamos) mas valeu cada lira turca! O dia nos presenteou com um sol de rachar e um céu claro depois de tantas chuvas e frio. Só foi caído atocharem um monte de japas “fotoneuróticos” do nosso lado! Um aperto só! Se soubéssemos teríamos pago um pouco mais para o balão Delux de 1,5h e com menos gente! VALE!!!

Faltam vocês para completarem o sofá!!!

Faltam vocês para completarem o sofá!!!

Fora o balão vários outros passeios são oferecidos e visitamos dois lindos e diferentes vales, uma cidade subterrânea que os Hititas, povo milenar que aqui viveu, construiu para esconderijo de inimigos invasores (me senti em um filme de Indianna Jones ao passar pelas armadilhas no caminho) e ainda tivemos um dia livre para alugar uma Scooter e rodar pelas cidades próximas! Recomendo um picnic no por do sol do Red Valley depois de um longo trekking no meio dele. As pedras são rosas e brancas…, imaginem???

De outro mundo?

De outro mundo?

 

"Get Your Moto Running..."

“Get Your Moto Running…”

Deixamos a Cappadocia (tristes) para trás em um outro ônibus de longa duração até Pamukkale, mais um lugar estranhamente e naturalmente incrível e mais 10 horas nos esperam pela frente…

Pensou besteira..., né???

Pensou besteira…, né???

 

in Oriente Médio

Istanbul e o encanto por Sultanahmed

0
by on Março 21, 2013 at 10:29 pm
Vista da Galata Tower

Vista da Galata Tower

 

Se de todos os lugares até agora tivermos que recomendar um para quem não sabe onde programar as próximas férias, aí vai: Turquia sem dúvida! Bom, bonito e barato (corrigindo…, não tão caro quanto se acha) se você tem disposição para organizar tudo por conta própria. Ou se precisarem de uma ajudinha…, também estamos aí!

 Istanbul não é a a capital mas é o coração da Turquia assim como o bairro de Sultanahmed…, a coronária. Um pouco obstruída pelo “mundaréu” de pessoas pelas ruas das mais diferentes nacionalidades… Brasileiros de monte com o estímulo global e turcos de menos.

E tome chuva!!!

 

Chegamos no meio de uma frente fria (2 graus!!!!) e de chuvas intermináveis já que adiantamos nossa viagem, mas nem por isso Istambul deixou de brilhar aos nossos olhos com suas lindas e imperiosas mesquitas (destaca-se no céu a Mesquita Azul) e a famosa Haya Sophia que por muito tempo foi a maior “igreja” da Europa. Entre aspas pois foi transformada em mesquita pelos sultões Otomanos.

Constantino, já na época convertido para o Cristianismo decidiu mudar a capital do Império Romano para Constantinopla, a Turquia Européia. Das igrejas construídas desde então sobrou a Haya Sophia para ser reformada e transformada anos depois em mesquita com o domínio dos turcos otomanos, islâmicos.

 

Spice Bazar: as famosas especiarias!

Spice Bazar: as famosas especiarias!

E os sultões pintaram, bordaram e se esparramaram entre palácios e Harems pela cidade. Cercados por muito ouro e pedras preciosas!!! Minha idéia de um harem era de uma orgia sem tamanho mas não era nada disso! Na verdade os harems eram os locais onde os sultões moravam com suas mulheres (aí sim…, váaaarias), mãe, filhos, servos e “concumbinas”. Ah…, e os pobres dos eunucos, castrados desde a infância para poderem servir e guardar as portas do harem. O sultão podia tudo e vimos sua cama: GIGANTE! Quantas mulheres não devem ter passado por ela!!! O Dolmabache Palace é todo decorado em ouro e tem as luminárias mais bonitas que já vi! Não me lembro de ter visto destas em Versalhes e nem em Buckingham…!

Reflexo do McDonalds ao fundo mas com esses doces turcos..., vazio!

Reflexo do McDonalds ao fundo mas com esses doces turcos…, vazio!

 

Como palácios, mesquitas e museus são enormes, gasta-se um bom tempo para ver tudo! O museu então conta toda a história do Oriente Médio antigo! Anda-se um bocado também mas entre um atração e outra dá para se perder nos milhares de restaurantes super bacanas de Sultanahmed e mais ainda, nas milhares de lojas vendendo as famosas baclavas: os doces turcos de comer babando!!! Pistache vende igual água e a preço de banana (do Brasil porque aqui a banana é cara!). E pra mim o melhor dos doces turcos foi um que era tipo um pé de moleque de pistache circundado por uma casquinha de melado de biscoito. Só comendo para crer!

 

Haya Sophia

Haya Sophia

Mas destaque mesmo merece o Grand Bazar! Que sofrimento para uma mera mochileira que não pode comprar nada (ou quase) e que enlouqueceu de desgosto com tanta coisa linda e barata! Luminárias, tecidos e tapetes de monte, ouro, decorações diversas… Vende-se de tudo! São 4000 lojas concentradas e 4000 vendedores tentando te convencer de todo jeito a levar alguma coisa. Eles falam todas as línguas do mundo e adivinham na certa a sua nacionalidade…! E os preços? Caem até 60% com muita insistência!

Blue Mosque

Blue Mosque

 

Por fim fizemos um passeio pelo Estreito de Bósforo de barco quando o tempo melhorou um pouco. Outra visão de Istanbul e uma das passagens marítimas mais famosas do Oriente antigo!

 O banho turco ficou para depois já que voltaremos a Istanbul depois de visitarmos a Cappadocia e Pamukkale!

in Oriente Médio

Turquia: Europa, Oriente Médio, Ásia ou um pouco de tudo?

0
by on Março 17, 2013 at 8:18 pm

Nossa passada pelo Oriente Médio teve que ser mais rápida do que gostaríamos pois a logística de viajar por lá é muito difícil e cara! Por isso vemos tão pouco mochileiros nas ruas… Tivemos que adiar o Irã até podermos fazer um passaporte novo já que não dava para arrancar o carimbo da fronteira Egito-Israel. E como falamos antes, vestígios de Israel fecha as portas para o mundo árabe! Para a Arábia Saudita o visto era complicadíssimo e até foto de véu eu tinha que tirar. Oman, visto e passagem muito caros para pouco retorno. Fora que o árabe cansa! Cheio de regras para lá e para cá, não pode isso…, nem aquilo…! Resultado: partimos de Doha para a Turquia. Mais um vôo adiantado!

Achamos que ainda veríamos muito do Oriente Médio e nos enganamos (pelo menos em Istanbul) pois de Oriente Médio nada tem com excessão do bazar e das técnicas de negociação! A cultura e arquitetura são muito mais européias apesar da maioria muçulmana que aqui vive. Burcas ou cabelos cobertos: raríssimo! Turistas: milhões!!! Regras? Cada um com a sua, cada um no seu quadrado! Mal conseguimos identificar turcos verdadeiros pelas ruas mas acho que são aqueles “homens com cara de homens” e aquelas “mulheres com cara de homens”…, ambos narigudos!

Concordando e muito com minha amiga Juju: A TURQUIA É SENSACIONAL!!!! Superou bastante nossas expectativas e eu e Bife estamos amando. Cansados e amando! Haja coisa para ver e fazer!!! Hoje é nosso quarto dia em Istanbul e ainda não fizemos tudo que queríamos!

Como postamos no Facebook o governo daqui bloqueia e censura o uso de alguns blogs e sites como o nosso e o You Tube por exemplo! Estamos sem acessá-lo desde que chegamos e só estamos postando graças a DIGITALBLÁ, empresa que desenvolveu o site e está de longe nos ajudando a mantê-lo! (Mais um obrigada por isso!!!!!!!!!!). Portanto não estamos conseguindo ver os comentários mas continuem deixando pois assim que conseguirmos veremos ansiosos!!!

Europa? Parece muito mas ainda não podemos dizer que nela entramos pois o pedaço que lhe cabe da Turquia é bem pequenininho! A maioria das terras do país é asiática mas também de ásia não tem nada! Esse conflito cultural e de espaço se dá pela sua localização estratégica: NO MEIO DO MUNDO!!! Imaginem o que era isso para os antigos conquistadores e compradores de especiarias e pedras preciosas? Nem preciso dizer que guerras e invasões fazem parte dos museus e livros de história…! Mas a força militar dos Sultões e Império Otomano fez com que o país estabelecesse sua identidade própria! Os sultões dominaram por muito tempo e a antiga Constantinopla (Istanbul) e Anatólia (parte asiática da Turquia) mandava e desmandava na área junto com a Pérsia (atual Irã), Mesopotâmia (Iraque) e Babilônia (Arábia).

Highlights de Istanbul e detalhes minuciosos imperdíveis relatados pelo Bife sobre o famoso e “doloroso” banho turco…, nas cenas do próximo capítulo de SALVE JORGE…, ops…, PACK YOUR BAGS!!!!

PS: Ainda em busca da Morena…!!!!!!

 

in Oriente Médio

As mulheres a e burca: Mitos, verdades e o “Pré”-conceito!

0
by on Março 16, 2013 at 1:53 pm

Como eu, vocês devem estar curiosos com o tipo de sentimento que as mulheres árabes e muçulmanas nutrem pela burca…, ou xador (a primeira cobre os olhos e o segundo, mais comum, não). E homens idem! Existe muito mistério nesse assunto mas de fato é mito dizer que elas são “obrigadas” a usar e são infelizes para sempre por de baixo daquela coisa preta fantasmagórica! No Corão, livro sagrado do islamismo, está escrito que homens e mulheres não podem usar roupas coladas ao corpo e devem apenas cobrir suas partes íntimas! A parte íntima do homem é do tórax até o tornozelo. A da mulher¿¿¿ Tudo menos o rosto!!! Cabelo então¿ Símbolo de alta sexualidade! Mas vemos (e de monte) aquelas que cobrem até mesmo o rosto, deixando só os olhos de fora! Explicações palusíveis de fontes diversas:
1) Extremismo religioso – como se elas quisessem agradar tanto que fazem mais do que o necessário!
2) Feiúra congênita – talvez umas sejam tão feias que se aproveitam disso para cobrir tudo já que os pobres homens levam para casa o pacote fechado só podendo abrir depois do casamento… Ex: quem tem cabelo “toinhoinhoim” não precisa gastar dinheiro com formol!!! Daí até passei a achar justo para os homens terem 4 mulheres! Se errar na primeira ainda tem mais 3 chances!!! Se erra em todas…, tá f…
3) Estimular a libido dos homens – contrariamente ao que pensamos, SIM, eles tem tesão por todo esse mistério…, e as mulheres, sabendo disso, usam esta artimanha como símbolo de sexualidade (quem diria!!!). E SIM…, elas são bem normais por debaixo dos panos! Tem desejos e os expressam com olhares, modo de andar, maquilagem poderosa…! Pode aparecer só o olho mas estes olhos são perfeitamente pintados! Fazem aula de dança sensual. Se vestem como nós e fazem até milhares de tatuagens de hena pelo corpo.
4) A última explicação que me deram e a que achei mais mirabolante e menos real foi que cobrindo tudo com pano preto o calor desértico fica menor (¿). Como pode¿ E lá vai: o ar quente que é gerado dentro na roupa pela absorção dos raios solares gera um deslocamento de ar quente-frio fazendo com que a circulação do “vento” entre pela roupa e refresque a criatura que está dentro! “Unbeliavable…!!!”
Bom…, é claro que há muita diferença entre costumes e países e entre pobres e ricos! Tem país que não se incomoda com cores mais vivas para as “burcas” (entre aspas pois ganha outros nomes) enquanto em outras sociedades como aqui em Doha, só o preto é bem visto! É cultural, mais chique e suja menos (segundo elas). As mais ricas (nos países do petróleo) usam seda ou outros panos finos para as suas burcas, com mangas rendadas ou com brilhos. O caimento é realmente impecável! Usam um coque na cabeça para que o pano que cobre caia como um véu e não fiquem apenas com aquela cuca redonda! As presilhas também são bem estilosas e umas brilham de longe. As pobres usam sandálias tipo papetes. As ricas podem ter salto agulha, sapato rosa chock ou cobertos de ouro! As pobres são sujas e empoeiradas (no Egito vimos muitas assim). Ricas nunca! Usam óculos Prada ou Gucci!
Ou seja: elas realmente parecem não se importar e depois de um tempo por aqui, vendo as mais posudas andarem pelos shoppings, passei a até achar bem estiloso por sinal!!!

Falando um pouco dos homens, estes usam túnicas brancas ou beges. Todos usavam preto quando ainda eram apenas beduínos no deserto por causa da areia e poeira. Com as guerras trocaram de cor como técnica de camuflagem na areia e assim ficaram! No Egito (mais sujeira) o bege predominava. Em Doha (Qatar) e nos países ricos do petróleo, o branco de suas roupas é tão branco que poderiam fazer anúncio de sabão em pó! Também são mais finos e tirando os muçulmanos mais radicais…, um pouco mais ocidentalizados! A cor da “cafia” (acho que é esse o nome do pano quadriculado que eles cobrem a cabeça) varia de região para região (Ex: Palestina usa preto e branco, Arábia o vermelho com branco). São presas com um halo preto para não voar com vento que é cruel por aqui!
A versão deles para a poligamia: tem bem mais mulheres que homem no mundo! Se cada homem só tivesse uma mulher, muitas ficariam sem (coitadinhas). Fazem então a “caridade” de ter mais de uma para a felicidade de todos. Mas acaba que a maioria não tem tantas assim pois segundo eles “muitas mulheres, muitos problemas”! Ah…, detalhe importante: o adultério é proibido e pecado grave! A sociedade é visivelmente machista! É só passar em um bar que não terá nem sinal de mulher por perto…
Aproveito e retifico aqui o pré-conceito que fiz dos árabes antes e disse que eles eram sujos, porcalhões e mal educados! Aqui em Doha é uma mentira sem tamanho! São super educados, deixam (em parte) serem fotografados, impecáveis no modo de vestir e de sujos nada tem! Não combinaria em nada com seus Rolexs e Ferraris!!! Tentamos umas fotos mas não é um hábito tão comum por aqui nos inibindo um pouco fotografar as pessoas.
Acho que isso foi o que conseguimos tirar deles e delas. Perguntamos também como eles vêem os terroristas que dizem que matam em nome de “Alah” já que um dos mandamentos de Alah é não matar! E os que vemos fumando¿ E eles disseram que existem muitas facções na religião e em cada país suas regras. A única boa resposta foi: “eles terão que prestar conta com Alah depois!” Não gostam da associação que o mundo faz com o terrorismo e o Islam. Uma coisa é uma coisa e outra coisa outra coisa!
Desde o início da viagem já mudei muito meus conceitos. A primeira vez que vi um árabe islâmico em seu traje mais típico foi em um dos vôos e quase não olhava pra ele. A sensação era de que ele poderia explodir uma bomba a qualquer momento… Que absurdo…, mais um Pré-conceito! Hoje em dia já batemos papos longos, principalmente sobre futebol que eles adoram! Nossa palavra mágica é “Ronaldinho”…, eles já abrem logo um sorriso!

in Oriente Médio

Tradução


Continentes

  • América Central-Caribe (1)
  • SlideShow (5)

Contato

Entre em contato conosco !

Respeitamos sua privacidade.