O charme e glamour de Santorini: Grécia!

0
by on Junho 4, 2013 at 7:10 pm

Completamente diferente de Mykonos mas igualmente imperdível está Santorini, ilha formada após explosões da “Caldeira”…, o antigo vulcão que emerge das águas embelezando ainda mais a vista que temos de quase todos os pontos da ilha. Santorini é uma grande e alta formação rochosa que sustenta inúmeras casinhas brancas (aquelas mesmas que vemos em filmes e novelas…), restaurantes e hotéis espalhados pela encosta (ou melhor, dependurados)! Tem para todo bolso e gosto mas o que vemos diante de nossos olhos, por si só, já é de uma finesse sem tamanho!!!

 

O tão famoso por do sol de Oia – Santorini

Esses lugares na escosta com vista e muitas vezes com piscina infinita voltada para o mar tendem a ser bem mais caros! Tipo lugares em que se pede alguém em casamento dando um anel de diamantes ou se comemora 50 anos de casado (mais raro nos dias de hoje…).

 

Restaurante em Oia – Santorini

 

Os hotéis de Oia – inveja “branca” (literalmente!)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Por do sol de Oia – Santorini

 

 

 

Oia (pronuncia-se “Ía”) é o destaque e cartão postal de Santorini e é de lá que absolutamente todos que estão na ilha disputam por um lugar no meio de seus muros e ruelas para ver o por do sol já eleito o mais bonito do mundo. E é ali que o nosso “astro rei” recebe a gratidão que merece pois ao mergulhar nas águas do mar recebe um grande aplauso da platéia! A briga dos tripés é maior que a dos turistas…, uma promiscuidade danada de pernas…!

A briga por um espaço no por do sol: todos querem mas nem todos tem a mesma sorte deste aí da foto!

 

 

 

 

Fira é o centro da ilha e não deixa muito a desejar pois também é bem interessante mas como fica do outro lado perde para Oia por não oferecer vista para o por do sol! Nós (praianos que somos) ficamos em Kamari,  dita melhor praia da ilha junto com Perissa! Essas áreas são mais baratas pois todo mundo quer ficar nas clássicas casinhas brancas do alto de Oia ou Fira. Brinquei com Bife que ele reservou um hotel em “Bangu” já que era bem afastado do centro e me dei mal!!! O lugar é irado com uma rua de pedestres interminável e com mil opções de restaurantes e bares…, todos incríveis! A praia não é lá essas coisas comparada com qualquer praia de Mykonos mas é interessante pois a areia (ou pequenas rochas) é preta por causa do vulcão próximo! Muito diferente e… quente!

Achei uma sósia da minha rede na Black Beach!!!

 

Lua de Mel longa…, não???

 

 

 

 

 

 

 

Como principal dica de sobrevivência, o aluguel de um carro é fundamental para que você possa rodar a ilha toda e não ficar restrito à àrea do seu hotel. Taxis são poucos e caríssimos e ônibus existem mas de tão escassos nem vimos por lá! Na ilha o vento é muito intenso e frio (tipo Búzios à noite só que muuuito pior) e Scooter ou Quadriciclo motorizado não são boas opções! O vento atrapalha muito e pode estragar um jantar na encosta à luz de velas! Seguindo os conselhos do Tony (sogro) que nos deixou em Mykonos “abrimos a mão” um pouquinho para fazer reserva em um destes restaurantes mas o vento acabou com o romantismo, apagou as velas e esfriou o prato!

 

Tentamos…!!!

O cartão postal de Santorini: igrejas gregas!

Outra praia interessante de dar uma passada é a praia vermelha (Red Beach) de areias realmente vermelhas tornando a paisagem até um pouco psicodélica! Essa é roots e não tem estrutura…, portanto, leve a sua! Definitivamente praias não são o forte de Santorini!  Decidimos não fazer o passeio de barco até o vulcão (caldeira) por causa do vento mas em um dia bom talvez seja uma boa opção!

 

Essa sim é uma Praia Vermelha: Red Beach em Santorini

 

 

 

 

A culinária da Grécia surpreendeu e o queijo feta da salada grega não tem igual! Com frutos do mar a torto e à direita tive que aprender a gostar de vinho branco, mais barato que a Coca-Cola e o café por sinal… Dionísio (Deus grego do vinho – Tony…, você estava certo!) deve ter ficado orgulhoso de minha pessoa!!!

 

Um brinde! Santorini – Grécia

 

 

 

 

 

 

 

Bronzeados, descansados e renovados para a próxima etapa da viagem que em breve, com a Ásia chegando perto, mudará radicalmente…, voltamos à Athenas para pegar o vôo para Moscow!

 

 

 

 

E que venha o Rui (eeee!!!!!!) nosso próximo “hóspede da estrada” e a cara fechada e nada amigável dos russos!!! Lemos que eles são bem mau-humorados, com uma “MAVON” sem tamanho de ajudar, não falam inglês e são racistas (vide barbaridades cometidas pelos Skinheads) e beeem “esporrentos” quando bebem…, ou seja, quase sempre!!! VEREMOS…, e CONTAREMOS!!! Até…!

 

 

Deixo com vocês o espetáculo!!!

in Europa, Grecia

ILHAS GREGAS: de volta ao paraíso!!!

0
by on Maio 29, 2013 at 9:18 pm

Um a dois dias e você viu Athenas! Por incrível que pareça a Grécia tem mais história fora dela que em sua capital e o Alexander (“The Great”) não é tão louvado por aqui quanto odiado nos países que conquistou! Mas com Mikonos e Santorini tão perto, quem é que quer saber de histórias e museus??? As ilhas gregas definitivamente são o grande destino de 99% dos turistas que vão à Grécia!

O Parthenon – Athenas

 

 

 

Uma vista da cidade para a Acropolis e Parthenon e destes para a cidade é obrigatória mas audioguides e guias são raros por lá! Tem se você estiver disposto a pagar uns 100 euros ou fazer um grupão para dividir o custo! Se não relaxa…, curte as ruínas e dá um “google” depois! Pra almoçar ou jantar nada mais agradável que sentar em uma das tavernas gregas ao som de um violaozinho-banjo que eles tocam! Vinho barato…, comida cara (apesar da crise) e esta é a regra geral!

 

A dois passos do paraíso: Praia de Panormos (Mykonos)

As ruínas – Acropolis

 

 

 

 

 

 

 

 

Agora em trio, partimos de ferry para as ilhas e escolhemos Mikonos para ir primeiro. São todas bem longe (quase 8h de Athenas no ferry lento mais barato – 35 euros) e para quem não tem muito tempo recomendamos o avião ou o ferry rápido (56 euros). Por incrível que pareça os hotéis fora da temporada são bem em conta e muitos são mais baratos do que Cabo Frio (por exemplo). E olha que nem falo em Búzios…, que por sinal fica no chinelo…! Mikonos é simplesmente maravilhosa!!! E tem para todo gosto: casal em lua-de-mel, solteiros à procura (homens “se dão bem”…, melhor que as mulheres pois Mikonos é a ilha mais “gay-friendly” de todas), jovens, velhos, famílias…!

Athenas-Mykonos: 8h de ferry!!!

 

Vale a pena alugar um carro ou quadriciclo para dar uma explorada nas praias que são lindíssimas! Difícil escolher a que mais gostamos mas Bife e Tony escolheram a Super Paradise e eu Panormos! O clima é de festa e as praias tem um background impressionante para um pós praia: música, bares alucinantes e animação! Tem as mais calmas também, como a do hotel que ficamos (Platis Gialos). A água é de um azul-esverdeado transparente e compete com a arquitetura em termos de beleza! Todos os prédios são brancos bem brancos de quinas arredondadas e janelas azuis. Dizem que era para confundir os piratas… Flores rosas os vermelhas completam a paisagem! Um sonho…

 

Paradise Beach: Bife e Tony

 

 

 

Fazendo juz à sua fama, a Grécia foi para o topo da lista dos países que indicaríamos para as próximas férias! Mas cuidado: faça um pacote ou viage em baixa ou média temporada pois julho vira um inferno de tanta gente e para tudo tem que fazer reserva com antecedência! Coisa boa: os estacionamentos são gratuitos e MELHOR…, não existem flanelinhas!!!

 

Por do sol em Little Venice – sem mais palavras!

Eleita também por nós como o por do sol mais bonito da viagem está “Little Venice”…, um pedacinho de Mikonos Town com uma vista privilegiada e com os antigos moinhos “olhando” de cima a imensa bola de fogo se pondo nas águas mediterrâneas.

E dá para pensar em voltar??? Nunca!!! Mykonos-Little Venice

 

 

 

 

 

Como escolher uma ilha??? Também tivemos que pesquisar e Mikonos é imperdível por ter as praias mais bonitas e com muuuuita estrutura para só sair delas depois do sol se pôr! E se a sua vibe é de “rock n’ roll all night”…, troque por “all day” e se perca com toda liberdade como muitos nos bares-boites da praia! Se for uma vibe “lua-de-mel” não faltam hotéis românticos, bares e restaurantes à luz de velas e charmosíssimos pedaços de praia com cadeiras super confortáveis, colchonetes com apoio para a cabeça, massagistas no lugar de um caboclo gritando: “Olha o mate…!” (bem que queríamos…) e “pool bars” que são bares que oferecem piscina aos seus clientes…! Irados!

“Party-Beaches”

 

 

 

 

Ficamos 4 dias em Mikonos com muito gostinho de “quero-muito-mais”!!! Sem dúvida um destino que merece volta! Vale cada centavo de euro…

 

 

Super`Paradise

Mais de Super Paradise

 

 

 

 

 

 

 

A arquitetura grega: sem igual!

Que mar é esse???

in Europa, Grecia

Uma homenagem à distância

0
by on Maio 26, 2013 at 9:09 pm

“Tomara”

Que a tristeza te convença
Que a saudade não compensa
E que a ausência não dá paz
E o verdadeiro amor de quem se ama
Tece a mesma antiga trama
Que não se desfaz

E a coisa mais divina
Que há no mundo
É viver cada segundo
Como nunca mais…

Vinícius de Moraes
(para uma dessas eu não teria talento)

Em homenagem à uma das melhores pessoas que conheci (Mel) na vida e que muito me deu força e incentivo para estar onde estou agora: no mundo!
Um grande obrigado…, da sua filha!

in Europa, Grecia

Protesto e Poesia: sem malas e com saudade de “casa”!

0
by on Maio 21, 2013 at 11:21 pm

 

Supertramp: “Hope you’re not lonely without me”

Antes de falar sobre a bela Dubrovnick na Croácia me adiantarei um pouco até Athenas, de onde escrevo para um protesto: COMO É RUIM TER SUAS MALAS EXTRAVIADAS!!! Principalmente quando ela é também a sua casa e tudo o que você tem para um último apelo material!!!

Nosso vôo sairia de Dubrovnick para a Grécia (1h e 30 de vôo) e estávamos todos felizinhos de finalmente estar indo para o “paraíso” das Ilhas Gregas quando SEM NENHUM AVISO PRÉVIO: GREVE!!! A Croácia Airlines entrou em greve e nosso vôo foi cancelado! Depois de muito brigar, nos colocaram em outro vôo com 3 escalas, rodando toda a Europa por 8 horas até Athenas… ACEITAMOS (de bobos que somos) e para piorar chegamos sem malas! Elas resolveram ficar independentes em Bruxelas e se libertaram de nós por dois dias até serem encontradas arrependidas e doidas para voltar para os nossos braços (ou costas…)!

Já não basta passar um ano com quase nada e nos tiram o restinho que tínhamos??? Surtei e me deu uma saudade danada pela primeira vez do conforto da nossa casa BEM aí no Rio…, ou pelo menos da que tínhamos!!! Do feijão fresquinho, do cheiro do pão de queijo, do colo de mãe e das gargalhadas dos amigos…

Diante de tudo isso…, escrevi à todos vocês uma poesia (não deixando de homenagear e lembrar das minhas companheiras do “Poesia com Champagne”). Aí vai:

“Olhos de Exílio”

Com “olhos de exílio” venho embelezar minha gente

Que dança o martírio sorrindo sem dente

Brincando com o dia nos dias mais quentes

Dando vida à vida da gente

Brindo à casa que ficou, ao feijão que queimou e à mãe que esperou

Ao pandeiro e ao Carnaval do ano inteiro

Nas pedras portuguesas, o tropeço também brindo

E sorrindo, elevo a cabeça e vejo o mar que

Ao chorar…, de tão longe, em cinzas nuvens…

Tanto me faz amar!!!

Com “olhos de exílio” meu país não é pobre e nem nobre,

Nem guerra e nem paz…, o governo não faz

Nem menos, nem mais!

Mas dizer-me desse mundo mochileira

Com brasileira alma e raíz

Orgulho me traz e esperando, sigo feliz,

Um dia voltar de onde escrevo:

Entre Grécia e Sarajevo, Apollos e afins…

Para de corpo presente dizer à minha gente

Que “olhos de exílio” são como olhos de mãe:

NUNCA SE CANSAM DE AMAR INCONDICIONALMENTE!!!

 

in Europa, Grecia

Tradução


Continentes

  • América Central-Caribe (1)
  • SlideShow (5)

Contato

Entre em contato conosco !

Respeitamos sua privacidade.