Surf, Spas, Ondas e Warungs: Bali, Indonésia.

0
by on Outubro 29, 2013 at 11:17 am

 

 

Bali em família!!!

Bali em família!!!

Ainda não passamos pelo Hawai mas por enquanto nada foi mais “Ula-Ula” e relaxante do que a ilha de Bali, destino tão sonhado pelos surfistas e dentre eles, Leco, meu irmão! Foi sua escolha imediata quando decidiu vir nos encontrar pela estrada! Ondas perfeitas, sol quase todo ano, visual alucinante e bares e mais bares, ou melhor, “warungs” por todo canto! A maioria de madeira ou bamboo tomados de almofadas coloridas e atendentes locais de um sorriso e simpatia que há um tempo não víamos pelo caminho!

Leco, my brother..., orgulho!!! Uluwatu.

Leco, my brother…, orgulho!!! Uluwatu.

 

 

 

 

Bali é incrivelmente a única ilha hindú de todas as quase 18000 ilhas da Indonésia. Sorte a nossa pois como as outras são muçulmanas vigoram nelas as regras de vestimenta “anti-bikinis”. O único problema do hinduísmo para nós foram as oferendas deixadas nas portas de todas as casas, lojas e restaurantes: um pratinho de palha com flor, arroz, frutas e folha de bananeira que cismávamos em pisar em cima ou chutar ao entrarmos! Uma vergonha sem tamanho pois acabávamos esquecendo alguma hora daquele mimo no chão e li que para eles é como se estivéssemos chutando ou pisando na Bíblia ou em uma estátua de Jesus Cristo!

Oferendas

Oferendas

 

Existe um templo em cada esquina e alguns valem muito a visita como o de Uluwatu que fica no alto de um enorme rochedo cercado de espertos macacos que roubam tudo que estiver aos seus alcances e o Tanah Lot, um templo na água, flutuante nas marés cheias e encantador! No primeiro a energia é grande e potencializada pelo som do “Chaka-Chaka”, uma dança que acontece todos os dias encenada por personagens do Ramayana, Bíblia hindú.

O Chaka-Chaka, dança balinesa no templo de Uluwatu.

O Chaka-Chaka, dança balinesa no templo de Uluwatu.

 

 

 

Cada praia tem sua beleza e particularidade o que faz do conjunto uma quase perfeição se não fosse o deslocamento entre elas. O trânsito é meio caótico e sem regras e como toda a Ásia até parece que é permitido trocar a bicicleta pela moto com 8 anos de idade!!! É impressionante como se vê criança em motinhos e sem capacete pelas estradas de toda a ilha! O ideal é alugar um carro ou scooter para rodar nas áreas mais tranquilas como os arredores de Uluwatu e Nusa Dua e um carro com motorista ou taxi para o restante! Tem que ter muito cuidado pois a mão é inglesa e meu irmão arrancou o espelho do carona logo no primeiro dia!

 

Praias de Uluwatu, Balangan e Padang-Padang.

Praias de Uluwatu, Balangan e Padang-Padang.

Ficamos em Uluwatu e perto das ondas o que é uma excelente escolha se com você tem alguém que surfa. Do contrário achamos Padang Padang a praia mais legal para se hospedar e com melhor custo-benefício. Nusa Dua é a mais bonita disparado (para o banhista) mas infelizmente é a mais cara, cheia de resorts de luxo máximo e alucinantes! Quem sabe um dia…

 

IMG_7092baixa

Por do sol em Uluwatu

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Balangan é boa também pois tem para alugar cadeiras de praia, o que dá um conforto adicional mas o mar é cheio de pedra e entrar pode ser demorado e doloroso! Jimbaram é conhecida por seus restaurantes de frutos do mar escolhidos ainda vivos no aquário pelos clientes que se não ficarem espertos são super roubados no peso do peixe e no preço final da conta! Aconteceu com a gente e numa viagem de um ano isso é o que mais estressa: tem sempre alguém de má-fé querendo te enganar de todo jeito por mais uns trocados! O lugar é irado de frente para um por do sol emocionante no mar mas acabamos saindo de lá “borocochôs” pelo estresse da conta!

Praias de Nusa Dua, Jimbaram e Kuta/Legian/Seminyak

Praias de Nusa Dua, Jimbaram e Kuta/Legian/Seminyak

 

E por fim deixo as que um dias já foram as primeiras como as praias de Kuta e Legian mas que vêm perdendo um pouco do encanto pela enoooorme quantidade de gente que circula em suas areias e ruas! Talvez por serem mais perto do aeroporto ou pela infinita oferta de hotéis bons, bonitos e baratos. Tá…, deixando meu lado quase 36 anos de lado, é lá que fica o “agito”, as “baladas” bombantes até o sol raiar e o “tunch-tunch” nas alturas. Coisas para os de 26 no auge de suas solteirices! Bem perto e um pouco mais calma fica Seminyak, opção para quem quer estar alcançável mas não no epicentro do barulho! A praia não é lá essas coisas para os acostumados às praias bonitas como nós brasileiros mas a região é a que tem a maior concentração de bares, restaurantes e lojas de toda Bali.

No meio de todas estas não faltam prainhas menores a serem exploradas e warungs para uma “semi-gelada” Bintang já que cerveja gelada mesmo como gostamos, só no Brasil! Aliás uma ótima recomendação para nossos conterrâneos que já estão na estrada há um tempo é o Warung brasileiro em Uluwatu que não só serve a cerveja na temperatura ideal como tem um feijão de dar água na boca!

As mulheres dos surfistas perdem seus maridos para o mar por um bom tempo, o que não necessariamente é ruim pois não faltam em Bali lojinhas de todo jeito e coisas lindas para comprar. Uma “Totem” atrás da outra só que com preços muito mais em conta! Luminárias de teto e de chão, cangas e sarongs coloridíssimos, pratas, móveis, artesanatos dos mais diversos e tudo feito em madeira, palha ou bamboo da melhor qualidade. Melhor mesmo??? Preços baratos!!!

Os warungs. À dir o brasileiro com feijão de verdade!

Os warungs. À dir o brasileiro com feijão de verdade!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os lindos terraços de arroz

Os lindos terraços de arroz

 

Ubud é o centro da ilha e o centro das compras e muitos vão para passar a noite mas acabam ficando perdidos por lá envoltos nas atividades ao redor como trekkings no vulcão Batur em Kintamani, templos, florestas e os lindos terraços de arroz! É tudo bem pacato e ideal para quem busca um pouco mais da cultura do balinês, reflexão e meditação! Até o guru do livro “Comer, Rezar e Amar”, o famoso Ketut vive por lá e cobra 15 dólares pela consulta espiritual! Minha cunhada teve a oportunidade de conhecê-lo mas disse que enquanto respondia sua pergunta, o Ketut já tinha esquecido o que tinha perguntado…! Ainda assim sua agenda é lotada e aproveite para já ir meditando enquanto espera em média de 2-3h para entrar. Isso que dá a falta de uma aposentadoria…, gurus não têm destes privilégios!

 

Gili Air: paraíso!

Gili Air: paraíso!

E faltou falar, claro, das imensas “surf shops” espalhadas como Rip Curl, Quick Silver e etc… Foi aí que perdi meu irmão, maravilhado com o mundo de acessórios e apetrechos para o surf e enquanto ele fazia um tour pelas mil lojas combinando com novos destinos de ondas como Keramas e a costa leste, eu, Bife e sua sogra resolvemos dar um pulo de 2 dias nas Gili Islands em Lombok, ao lado de Bali. As fotos falam por si e foi um dos lugares mais lindos e agradáveis que passamos ao longo da viagem.

Existem 3 ilhas Gili e em todas podemos dar a volta à pé (máx 2h na maior delas). Ficamos na pacata e paradisíaca Gili Air pois como a lua estava cheia não arriscamos um hotel na mais estruturada das três, Gili Trawagan, que também é a mais agitada e palco de festas do tipo “nada a ver com o lugar” como as “Full Moon Parties”. A terceira, Gili Meno, é a mais rústica de todas e geralmente é a escolha dos que viajam com crianças ou em família! É fácil ir de uma para outra (10 minutos de barco) mas se você perder o horário do ferry público, só alugando barco particular o que sai muito caro (30 dólares

Relax em Gili: almofadas na praia!

Relax em Gili: almofadas na praia!

“one way”). Independente da escolha não existe arrependimento, todas são maravilhosas!!! A água é transparente, quente e calmíssima! Parece uma gigantesca piscina aquecida de um spa a céu aberto com peixes coloridos vindo ao seu encontro! Na areia, puffs e palafitas com almofadas dos bares completam o cenário que ganhou um brinde especial à noite com a chegada da imensa lua cheia! Ela veio todos os dias para iluminar nossos jantares na beira da praia!!! Quem precisa de velas…??!!!

Palafitas particulares em frente à praia e à lua cheia.

Palafitas particulares em frente à praia e à lua cheia.

 

 

 

 

Voltando à Bali e novamente reunindo a família, passamos duas noites em Seminyak antes da dolorosa despedida final! Mais uma vez, tudo que é bom parece ter o poder de acelerar os ponteiros do relógio! O tempo voou, acabamos Bali e nossas andanças pela Ásia, continente único, imperioso, de comidas exóticas e regras próprias! Sua bagunça organizada, seu enorme custo-benefício e sua espiritualidade elevada deixará muitas lembranças e saudades!

 

Um último “Nihao” a todos, um “Namastê” para que comecem bem seus dias e um enorme “Terima Kasih” para quem tem nos acompanhado e vibrado conosco cada conquista e cada nova emoção!

O Tanah Lot, templo flutuante na maré cheia

O Tanah Lot, templo flutuante na maré cheia

 

Daremos um pulo de canguru até a Austrália!!!

Mel no Tanah Lot

Mel no Tanah Lot

Tradução


Continentes

  • América Central-Caribe (1)
  • SlideShow (5)

Contato

Entre em contato conosco !

Respeitamos sua privacidade.