Lado A, lado B…, lado B, lado A: por Bife!!!

0
by on Julho 21, 2013 at 9:33 am

 

Insetos no palito – Street Food, China

Por ser um apaixonado por viajar, antes de iniciarmos nossa viagem de volta ao mundo já havia visitado exatos 40 países espalhados por todos os continentes.

E com o tempo criei uma classificação própria dos páises que visitei: países A, países B e países C.

Os países A são os “Top” para se fazer turismo: cultura diferente, povo legal, beleza natural fantástica, que respeita o turista, excelente estrutura para o viajante, etc….exemplo são a Tailandia e a Australia. Estes eu voltaria feliz da vida!

Os países B são os países que oferecem uma experiência cultural interessante mas que não têm tanta

Na ópera chinesa – Pequim

estrutura como por exemplo o Egito. Nesses eu fico o suficiente para ver o que me interessa e vou embora sem querer voltar.

Os países C são os países que não oferecem uma diversidade cultural tão grande, não oferecem nem estrutura e nem simpatia e também não são tão bonitos. Exemplo a Nicarágua. Não me perguntem porque já fui à vários destes mas eu gosto de ver tudo…Alguns desses não merecem nem uma visita.

Chegamos na China, após um longo período pela Europa , doidos por uma mudança de ares. Adoramos a Europa, foi alucinante, mas definitivamente somos movidos pelo novo e pelo desconhecido. Já estava na hora de partirmos. Estou muito animado para saber o que a Mel vai achar da Asia.

Muito quente…, muita gente!!!

Saímos da frieza do povo Russo para o espaçoso povo Chines!!! Quanta gente e barulho..meus Deus do céu!!! Detesto isso.

Chegamos na China por Pequim, que definitivamente foi a cidade que mais gostei e super recomendo. As atrações são muito legais conforme a Mel escreveu nos blogs postados. Mas a partir de Pequim começei a me decepcionar um pouco com a China.

Shanghai é legal de ver por 2 dias, subir em um arranha-céu e dar uma volta na orla e deu…o interior é bonito mas bem menos do que nos folders das agências de turismo. Vale a pena mas tem que escolher com cuidado o que ver.

UFA…! Achando ARROZ com FEIJÃO!!! Oásis em Shanghai.

Acho que como ficamos muito mais tempo do que gostaríamos em função da espera para pegar o visto Indiano acabamos ficando um pouco cansados de algumas coisas do dia a dia na China. O lado bom a Mel já escreveu. Então deixa eu falar um pouco do que nao é muito legal por aqui:

– Peidos, arrotos, escarros: em qualquer lugar, a qualquer hora e em qualquer volume haverá alguém do seu lado fazendo uma dessas 3 coisas. O ápice foi quando estava urinando em um mictório e entrou um Chines do meu lado e ao invés de “fazer xixi”, mandou um peido alto!!! Tá de sacanagem comigo!

  • Filas – Não há o menor respeito. Na verdade não há fila e sim um aglomerado de pessoas em uma mesma direção. Nem pense em se estressar com isso senão você vai cair duro nos primeiros dias. Depois de uns dias passei a ignorar e dar cutuvelas e esbarrões igual a eles.

  • Barulho – Não há privacidade na China. Em TODOS os lugares haverá muita gente!!! Só que o chines é o povo MAIS mau educado (na nossa visão ocidental) da face da terra…o que fará o barulho ser ainda maior!!! Se prepare e leve remédio para dor de cabeça se for o caso.

  • Comer ao lado de um Chines – Sabe aquele livro “1000 coisas para fazer antes de morrer”? Acho que comer com um local é uma experiência única. Se prepare para a nojeira….mas é engraçado vermos como as pessoas podem ser tão diferentes!!!

Correr na orla? Impossível…, seria um STRIKE de gente!

  • Difícil entendimento– Não sei como a China é a segunda maior economia do mundo com previsão de ser a primeira até 2050. Deve haver 100 milhões de cabeças pensantes e gênios mas o problema é que há mais 1.3 bilhões de “mentalmente lentos” (educadamente falando já que a Mel me pediu muito)!! Só falando assim….acreditem. Os caras não conseguem entender mímicas básicas que até uma criança de 3 anos entenderia no Brasil!! A comunicação é um grande problema por aqui. Peça sempre para alguém no seu hotel escrever em chines o que você precisa. Isso facilitará muito a sua vida.

  • Distância – Assim como o Brasil, a China é um país gigantesco e a distância irá te minar, ainda mais se você estiver usando transportes terrestres. Veja tudo com muita antecedência na alta temporada. Além da distância entre as cidades, as distâncias dentro das cidades também são grandes e cansativas. As vezes vale deixar o metro de lado e pegar um taxis que é super barato.

  • Atraso de Voos – TODOS os nossos voos atrasaram e muito. Não marque nada contando com o seu horário de chegada. NUNCA!!!

    O Buda Gigante de Leshan

Mas a China também tem seus pontos fortes que merecem destaque:

    • Motoristas de taxi – Foram os mais honestos de toda a viagem e não aceitam gorjetas. Ótimo!!!

    • Os aeroportos e estrações de trem são fantásticos!!! os melhores que já vimos.

    • O povo é extremamente solícito. Mesmo que consigam ajudar muito pouco efetivamente, tentam da sua melhor forma possível com muitos sorrisos envergonhados (hihihi)!

Sem nenhuma hipocrisia essa é a verdadeira China fora dos “pacotes de viagem”. Cabe avaliar em qual perfil você se encaixa: não se estressar com nada gastando o dobro (ou triplo) com os pacotes e deixar de lado a imersão cultural (que não é lá tão agradável assim) ou viver como nós…, praticamente chineses de olhos não puxados por um mês.

Dentro da minha classificação enquadro a China como um país B: vim, vi, gostei mas não pretendo voltar! Por incrível que pareça (nunca pensei que fosse falar isso…, Tony e Christian sabem bem…) estou embarcando para a Índia feliz da vida!!!

in Asia, China

Saindo do circuito Pequim-HongKong-Shanghai: “interior” da China!

0
by on Julho 12, 2013 at 10:16 am

Os Pandas de Chengdú (e do mundo): parecem de pelúcia!

 

Maior que o Brasil, a China quase nos deixou louco!!! Pequim é imperdível e inquestionável (mínimo 5 dias) assim como uma cidade de arranha-céus e entre Hong-Kong e Shanghai, Bife gostou mais de Hong-Kong! Como ele já conhecia, fizemos juntos Shanghai! Sugestão: fique no máximo 3 dias já que não tem tantos pontos turísticos quanto Pequim! Ficamos 10 dias esperando nossos passaportes voltarem da embaixada da India e a poluição e multidão de chineses nas ruas com seus hábitos não relaxantes como falar gritando e muito…, acabou acabando com a nossa boa impressão da cidade!

China rural: o vasto interior!

 

Mas e aí? Qual mais cidade escolher dentre as outras milhões de cidades turísticas e interessantes da China? Coloquei interior entre aspas pois de cidade pequena do interior nem a menor delas tem de parecido… Todas são gigantescas e populosas! Tudo depende do gosto de cada um e tem que gostar muito pois as distâncias terrestres são enormes, os trens noturnos acabam e só sobra o caro avião para ir de cidade pra cidade na alta temporada…, que nem sempre é a melhor opção pois além de mais caro, atrasa muito (todos os nossos vôos atrasaram em média 3 horas!!!). Abaixo colocarei umas dicas para ajudar futuros visitantes nesta difícil escolha, na nossa ordem de preferência das cidades:

  • Guìlín: Adoramos e demos sorte com o tempo! Abriu o maior sol!!! O ponto alto é o passeio de barco pelo rio Lí até a cidade de Yangshuo! As típicas montanhas pontiagudas juntas fazem das margens do rio um visual incrível, principalmente nos pontos em que refletem nas águas calmas! Embelezam o cenário os vários pescadores de chapéu de palha em seus barcos de bamboo.

    Passeio de barco pelo rio Lí – Guìlín

     

Em Guìlín tem umas cavernas com lindas e interessantes iluminações artificiais (Reed Flute Cave) e também imperdível é um trekking pelo terraço de arroz (2,5h da cidade). Em Yangshou vale dormir uma noite só para ver o show de luzes nas águas do rio (“Impressions”). Foi uma das coisas mais lindas que já vi com mais de 500 atores à noite nas águas do rio e montanhas naturais como cenário brincando com as luzes e seus reflexos na água!!! Alucinante!!!

 

“Impressions”: Show de luzes no rio Lí. Yangshuo.

 

 

 

Dica boa: esqueça o preço inflacionado dos pacotes e faça um com uma agência indicada (Ex: CTRIP)! A nossa guia foi impecável e super legal e é praticamente impossível fazer tudo sozinho na China! Chega a ser irritante às vezes a impossibilidade de comunicação e a falta de informação para o turista independente! Você até vai conseguir mas vai perder uns dias tentando…

A psicodélica Reed Flute Cave: Guìlín

 

 

 

 

  • Chengdú: foi a cidade que escolhemos junto com Guìlín pois meu lado “menina” de ser quis muito ver os pandas (Bife teve que acompanhar…). Eles são encantadores e merecem o nosso longo deslocamento! Como só comem bamboo o dia todo (não sei como ficam “fora de forma”) não tem muita energia e vivem na preguiça total dormindo de pança pro alto ou em finos galhos de árvores!!! Fofíssimos e encantadores! A reserva fica há 30min do centro! Adorei! Na cidade tem também a ópera de Sichuan…, bem legal para quem não viu em Pequim! 

    As Pagodas: símbolos budistas espalhados por toda China!

     

Há 2:30h (ônibus) de Chengdú fica Leshan, cidade que abriga o maior Buda do mundo escavado nas rochas e tombado pela UNESCO. Há 10h de ônibus fica o parque nacional de Jiuzhaigou (não fomos mas era lindo nas fotos que vimos).

A melhor dica em Chengdú para o turista independente é ficar no “Sim’s Cozy Garden Hostel”…, disparado um dos melhores da viagem! Quartos bem simples mas com um preço muito bom (20 dólares quarto duplo com ar) e com tudo que o mochileiro sonha: agência de viagem boa e barata, restaurante bom e barato, sala de jogos, DVDs e livros para emprestar, mesas no jardim, staffs super disponíveis e que falam inglês e até um violão à disposição dos hóspedes! Matei minhas saudades!!!!

  • Província de Yunnán: Assim como Guìlín junta um pouco da China antiga e rural com lindos

    Os belíssimos terraços de arroz: típicos do interior!

    acidentes naturais rochosos, belíssimos terraços de arroz e ponto de parada fundamental para os amantes da boa fotografia! Não fomos por causa das chuvas mas ouvimos falar muito bem das cidades de Dáli e Lijiang e para muitos é o destino de escolha na China depois de Pequim!

  • Xi’an: “só” tem os Guerreiros Terracotas para ver de bom que são mais de 8000 estátuas de soldados da época imperial escavadas…, cada uma com uma feição diferente! Ah…, e um museu sobre eles! Parece ser algo de outro mundo pelo relato de outros viajantes mas como os trens tinham esgotado, não quisemos estourar nosso orçamento com mais uma passagem de avião para lá!

    Cada um carrega como pode…

     

 

 

Muito chique para uma camponesa…!!! Terraços de arroz.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Tibet: IMPERDÍVEL e muito frustrante para nós por não ter dado tempo de conseguirmos a permissão para entrar no Tibet que demora 15 dias da data de entrada do pedido!!! Foi tanta coisa pra ver e resolver que quando descobrimos já faltavam 14 dias para o nosso visto da China expirar… Podíamos até ter renovado mas daria tanto trabalho que deixamos o Tibet para uma próxima viagem…, junto com o Nepal e o Base Camping do Everest! Pena…

 

Tem tofu pra todo gosto…e de todo jeito!

 

Bom…, tem muuuitas outras assim como o Brasil (norte, nordeste, pantanal, sul, Rio, São Paulo…) mas estas são as principais e mais que isso é loucura para quem só tem 30 dias!!! Viraria uma maratona de alto custo!!!

 

 

Estamos no fim da nossa longa permanência nesse país extraordinário e que conseguiu estimular todos os nossos sentidos e sentimentos dos mais diversos! Recomendo demais deixar de lado o “medo do desconhecido” e mergulhar nas raízes e no berço da cultura oriental, entender seu povo e suas regras (ou falta delas) e se encantar com a diversidade natural e cultural que a China tem para oferecer!

A mesma massa artesanal do Mr. Lam (mas por 1/100 do preço!!!)

 

Torçam para que a chuva nos deixe e dê uma trégua para os sofridos moradores do interior que perderam suas casas nas enchentes… Nos encontramos no próximo e tão esperado destino: “a caminho das Índias”!

 

Mais uma do show de luzes…, INCRÍVEL!!!!!!!

 

20130712-183030.jpg

in Asia, China

“MADE IN CHINA” – parte 3

0
by on Julho 7, 2013 at 7:57 am

Afinal…, o que não é “made in China”? Produz-se tudo, de todo o mundo e de todas as marcas por aqui! Quem não quer mão de obra barata que levante a mão! E ainda assim tem tanta gente que muitos não conseguem emprego e vivem na miséria! Mas fiquem tranquilos…, não farei uma lista dos produtos e sim de tudo que vimos culturalmente diferente entre ocidente e oriente e de tudo que é chinês e…, AUTÊNTICO!

O Dragão Chinês

 

  • Calendário chinês: um dos mais antigos do mundo! A partir dele o tempo foi dividido segundo ciclos da lua e do sol tendo alguns animais como protetores da Terra de acordo com o horóscopo Chinês. Diz a lenda que a ordem dos animais no horóscopo veio a partir da ordem de chegada destes em uma festa dada por Buda! Estamos por exemplo no ano da Serpente. Mas todos querem mesmo é nascer no ano do Dragão que por estas bandas é adorado por seu poder e superioridade. É ele a força máxima! O Dragão Chinês…, além de sorvete (no Brasil) é um símbolo muito importante aqui na China! Virou mau nas história americanas…, será coincidência?

 

  • Fengh Shui: Nada acontece por aqui sem uma consulta antes à ideologia que move a vida oriental! Dia para casar, hora para buscar a noiva, posição dos móveis, portas e janelas, direção de edifícios… TUDO é baseado no Feng Shui! Sua técnica é complexa e mistura Yin e Yang, equilíbrio de forças naturais, astronomia chinesa e etc… Ex: a porta da frente nunca pode estar alinhada com a dos fundos, objetos de ponta nunca podem apontar para a janela… Complexo mas como boa médica que se preza…, cadê as evidências????

 

  • Yin e Yang: esse eu gosto e fala de equilíbrio de energias! Nada existe sem seu oposto e ambos são necessários para mover o mundo! Ou seja…, não existe oposto e sim…, complemento! Forças contrárias são interdependentes e necessárias para a perfeição como o homem que invade com a mulher que absorve, o fogo que aquece com a água que hidrata, a sombra que só existe por causa da luz e etc… Foi erradamente interpretado no ocidente (a meu ver) para “os opostos se atraem” baseado em conceitos banais “à la Eduardo e Mônica” (Legião), mas a filosofia vai além de “escola-cinema-clube-televisão”…

 

O Tai Chi: remédio para grandes cidades!

 

  • O Tai Chi Chuan: arte marcial chinesa que prega movimentos lentos para combater o estress e a vida corrida cotidiana (“usar o lento para combater o rápido, a suavidade contra a dureza”)

 

A milenar medicina chinesa – Museu de cera de Shanghai

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • A Medicina Chinesa: junta um pouco de todos os anteriores mas o conceito fundamental é a “NÃO INVASÃO”! Com acupultura, massagem e ervas curam tudo! Cirurgiões amigos…, ficarão pobrinhos por aqui! Deixar o corpo ser cortado é uma agressão para muitos! Intensivistas amigos: alguma semelhança com artigos atuais???

 

Mao: mau? Foto em sua homenagem na parede da Cidade Proibida

 

  • O bom (?) Mao: Mao Zedong (mais conhecido por nós como Tsé Tung) foi um grande líder, inegável! Acabou com as regalias das milenares Dinastias assim como os russos comunistas com suas monarquias, quase duplicou a população da China estimulando os nascimentos para mais mão de obra e pôs fim à corrupção com a morte dos fraudulentos (parece que eles ainda pagam pelas balas…). Bom! Mas…, também gerou fome e miséria, medo nos capitalistas fervosoros (nunca se registrou tanto suicídio em Shanghai com nego se tacando direto dos arranha-céus) e controle da população (até hoje muita coisa é proibida como acesso a Facebook e outros sites). Mau!

 

  • Uso de máscaras nas ruas: me enganei quando achei que era para a poluição e depois de perceber que mulheres eram as que adotavam essa prática resolvi perguntar. Resposta: mesma razão de Michael Jackson! Manter a pele clara com chapéus e máscaras é um sinal de beleza e finesse pois as queimadinhas de praia são as que trabalham no sol, fazendeiras, rurais! Já as branquelinhas cheias de maquilagem são as madames!

 

Pele branca: padrão de beleza!

Pela primeira vez entendi o sentido de um guarda-sol!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Outros padrões de beleza feminina: olhos grandes, pés pequenos, sorrir de boca fechada sem mostrar os dentes… Muitas enfaixam os pés quando adolescentes chegando a fraturá-los para não crescerem! Eu devo ser horrorosa por aqui mas faço questão de sorrir com todos os meus dentes!!! Hahahahahahaaaaaaa…..

  • O Golpe do Chá: e não é que alguns chineses são espertos? Geralmente na saída de metrôs e

    Casa de Chá só com a agência de viagem!

    perto de pontos turísticos eles vem, fingindo de turistas e te pedem para tirar uma foto deles! Depois são super simpáticos, tentam te conquistar fazendo amizade e até nós 2 (já um pouco viajados e cariocas que somos) quase caímos no papo! No fim chamam para uma loja bacana de chá, bar ou restaurante e somem antes da conta chegar com os milhões que você vai ter que pagar!

 

 

Um dos vestidos da noiva! VERMELHO!

 

 

 

 

 

 

– “Os VestidoS” de noiva: não basta o trabalho que dá um, as chinesas casam com dois vestidos. Um vermelho e um branco!

 

– A Grande Família: é de praxe morar todo mundo junto! Pais, filhos, avós, tios, aquele primo distante e etc… E todo mundo mete o bedelho…! E como falam os chineses…, já viu né???

 

Dentro da cestinha de palha…, uma cigarra! Coitada… Mas o bebê dormiu!

 

  • Se tem 4 patas é de comer!” ou quem sabe…, ninar? Tudo que rasteja, pula ou tem 4 patas eles comem! Tem cidades que a carne de rato ou de cobra são mais caras que a de boi! Nem o vinho de cobra eu tive coragem… E cigarras são vendidas em microcestas furadas de palha para ninar bebês! Os pais penduram nos carrinhos…

 

  • Sobremesa e prato principal…, juntos? Não se assuste ou brigue com o garçom se a sua torta de chocolate vier antes do noodle ou frango agridoce! Eles comem tudo misturado!

 

Escorpião no espeto já é brabo…, e com iogurte??? Ai…

 

 

 

 

– Eles devem ter “colííííírio” de sobra e não usam óculos como Raul! Não vimos nenhum chinês de óculos escuros pelas ruas! Nem em Shanghai!

 

– Dupla identidade: todos os chineses tem dois nomes, um normal e um ocidental! O normal é chinês de nascença mas como é muito difícil para alguém do ocidente falar, escolhem do dicionário um nome ocidental! A nossa guia de Guilin escolheu Irene e estava certa, não gravei seu nome chinês! E olha que ela me falou hoje!

 

Como pediatra que sou: cartão vermelho para os chinas!

 

  • Guarda de trânsito? Ooonde??? Vale tudo!!! Motos e bicicletas elétricas nas calçadas, crianças e até bebês nas motos amarrados nas cinturas das mães e sem capacete, avançar sinal como se ele jamais tivesse fechado…

 

 

 

 

  • Leque e guarda-sol: nunca achei que fosse precisar mas o calor é tanto, mesmo para nós que moramos no Rio, que ajudam!

 

  • Aqui somos Pop Star! Todos nos olham de cima a baixo, pedem para tirar foto conosco, nos

    Aprendi com eles: como um leque é bom e faz toda diferença no calor brabo!

    seguem…, muito engraçado! Cidades grandes ou do interior e geralmente os mais humildes que nunca saíram nem mesmo de suas cidades…, que dirá uma viagem ao outro lado do mundo! Tem tanto china mas tanto china nas ruas que os poucos turistas se diluem ou mau saem de seus ônibus de excursão! Mochileiros independentes como nós e que sentam em um PF chinês para comer são a raridade da raridade!

 

Onde que iríamos descobrir tudo isso se não estando há 11h de fuso e muitos e muitos Km de casa? Com a saudade apertando, pena que não posso fazer um furo no chão e achar o Brasil (como achava que se chegava à China quando era criança) mas temos a recompensa de um cérebro inchado de novidades…! E olha que ainda nem falei do interior…

 

in Asia, China

China parte 2: “presos em Shanghai”

0
by on Julho 1, 2013 at 4:11 pm

 

Shanghai: população, construção e poluição!

Ni Hao!!!

Estamos como Tom Hanks em “O Terminal”: presos em Shanghai sem poder nos mover! E com uma chuva que não acaba nunca mais! Demos entrada no visto da India que demora 7 dias ÚTEIS para ficar pronto e estamos sem nossos passaportes, que aqui na China é o único documento aceito para estrangeiros! Não dá para fazer como no Brasil e usar a carteira de motorista (mesmo a internacional) para viajar até a cidade mais perto… Não deixam nem fazermos check-in em hotéis sem o passaporte original!

 

 

Temporadas e temporais: chove chuva!!!

Por um lado tem sido até bom pois estamos conseguindo tempo para resolver os próximos destinos já que aqui na China é muito difícil viajar independente. Nem agentes de viagem falam inglês e quando falam é a mesma coisa que nada… Tudo tem que ser pela internet quando raramente conseguimos um wi-fi com rede razoável e quando o site da agência ou companhia aérea funciona já que a internet é toda dificultada pelo governo. Como pode, né? Aqui a corrupção já é crime hediondo faz tempo mas é vetada a liberdade de expressão! Talvez por isso o povo seja devagar quase parando quando o assunto é sagacidade! Ficam o dia todo no celular jogando joguinho! Teve um que morreu em um internet café depois de mais de 48h jogando sem parar, sem comer e sem sair do lugar! Depois botam a culpa no “Pokemon” dizendo que causa convulsões! Esse cara aí deve ter feito é um baita de um tromboembolismo 48h na mesma posição!

A moderna Shanghai e o atual velho porto

Uma boa dica foi o site da agência CTRIP que vende tudo desde trens até pacotes para as cidades mais distantes! E outro toque fundamental é: NÃO DEIXE NADA PARA ÚLTIMA HORA! O turismo interno é gigante e tudo acaba rápido! Também…, né? Com esta quantidade de gente…

Shanghai é mais “Hi-Tech” que Pequim e menos que Hong Kong…, lembra São Paulo só que com muuuuito mais gente e muuuito mais poluído! É a cidade mais populosa do mundo (+ ou – 20 milhões de pessoas) e dá para perceber! Passei a concordar com a “Política do Filho Único”…, não cabe mais gente por aqui! Todo mundo se esbarra e quando chove é uma briga danada de guarda-chuvas… É arriscado andar sem um pois a chance de uma furada no olho é enorme! Achava maluquice aqueles chineses que andavam nas ruas de máscaras mas agora até entendo! Mal respiramos nas ruas e a rinite está atacadíssima! Talvez por isso escarrem tanto! O ar chega a ser abafado, quente e úmido como se estivéssemos em uma sauna a vapor! Como suamos… Haja energia para ar condicionado e olha que eles são poderosos…! Choque térmico!

 

 

Bund: a estrela de Shanghai!

Graças ao porto de Shanghai, a China se abriu para o mundo e fez com que todos conhecessem seus chás, porcelanas, sedas e ópio! Os chineses eram grandes navegadores muito antes de Colombo e já tinham alcançado a África pelo lado oriental na era das descobertas marítimas! O primeiro sinal de globalização do mundo se deu em Shanghai com a abertura forçada do seu porto pelos ingleses após vencerem a Guerra do Ópio contra a China! Invadiram e “ocidentalizaram” Shanghai e por isso vemos ainda hoje muitos prédios europeus clássicos na orla (O famoso “BUND”).

 

 

Os “fura-nuvens” e “arranha-céus” de Shanghai

Hoje (tendência da China moderna e com dinheiro) a cidade tende ao futurismo tipo “família Jackson” do desenho e cada vez se constrói prédios mais altos que vão além das nuvens!!! Um deles é conhecido como “Pérola do Oriente” e na esfera superior o chão é de vidro e podemos ver a altura que estamos olhando abaixo de nossos pés!!! A sensação é muito bizarra…, como se o chão fosse quebrar e você… cair a qualquer momento daquela altura!

Medo nas alturas!

 

Mas o povo parece que parou no tempo ou saiu de um filme de Ang Lee! Furam fila como ninguém! O pedestre aqui é um coitado…, ninguém respeita nem memo as milhões bicicletas nas ruas e calçadas. Sinal? Nem sei pra quê! Os carros avançam direto! As escarradas são profundas, altas e volumosas (ECA!) e os mais “educadinhos” (na nossa visão de educação) escarram nas lixeiras! Crianças são lindas demais com seus cabelos lisinhos mas nem tanto quando fazem xixi nas ruas! Os shorts e calças das crianças já vem com um buraco no tecido em baixo…, é mole? Os pais colocam pra fazerem xixi em qualquer lugar que nem cachorro: postes, canteiros e etc…

 

O que não falta é loja e coisa pra comprar até as nuvens!

Shanghai é bem interessante para quem fica uns 3 dias no máximo e os arranha-céus são realmente impressionantes junto com a rua das compras e seus milhões de shoppings, lojas e neons à noite dos letreiros em chinês! Mas mais que 3 dias… cansa! A cidade é muito frenética e não tem muitas “válvulas de escape” como Pequim!

O MELHOR mesmo foi o excelente restaurante brasileiro que descobrimos com tudo que tínhamos direito: um feijão maravilhoso…, picanha no espeto, farofa, PÃO DE QUEIJO, guaraná, pudim de leite…!!!!! Comemos até passarmos mal…! Não foi barato para os padrões daqui mas foi menos que um rodízio do Porcão! Escapamos das tartarugas cozidas, pés de galinha fritos, sopas de sapo, chás com leite ou barbatanas de tubarão…

 

Benção dos Deuses!!! Com direito a pão de queijo e guaraná!

 

 

 A China é impressionantemente barata! Ex: um metrô custa 70 centavos de real e cada estação é do tamanho de um “Santos Dumond” inteiro de tão grande! Aliás escolha um hotel perto de um pois as distâncias são enormes para andar à pé! Ou pegue um taxi que também é barato! Já chegamos a almoçar por 1 dólar (um fast food de “Dim-Sums”, aquelas trouxinhas de massa cozida com recheio dentro).

 

 

 

Dim Sums por 1 dólar…!!!

Presos…, sim! Mas pelo menos economizando! Ansiosos pelas áreas rurais da China (se ainda não alagaram com as chuvas), pelos pandas, terraços de arroz, rios, florestas, vilas e lagos que as outras cidades oferecem! Depois de muito pensar e pesquisar decidimos por mais 3 ou 4 cidades se der tempo: Guilin, Dáli, Lijiang e Chengdú! Tomara que nossos passaportes voltem logo!

 

O que restou da velha Shanghai: Yu Garden

 

in Asia, China

Iniciando a segunda metade da viagem: CHINA…, mudança radical!!!

0
by on Junho 27, 2013 at 4:46 pm

 Imaginem resumir o Brasil todo e suas várias diferenças regionais em apenas algumas linhas…, IMPOSSÍVEL! E assim é a China…, um país que merece no mínimo dos mínimos 20 dias de viagem e algumas páginas de blog para que se faça uma idéia de sua grandiosidade e variedade! Em todos os sentidos da palavra, nos perdemos neste país gigante e que comporta mais ou menos 1/7 da população do mundo todo! Dá para imaginar que a cada 7 pessoas no mundo uma é chinesa??? Não é a toa que o governo instituiu por aqui o controle da natalidade com a “política do filho único” Em muitas cidades, principalmente urbanas, só é permitido 1 filho por mulher salvo alguns casos específicos como primeiro filho doente por exemplo ou menina… É…, isso mesmo…, meninas não servem para trabalhar na lavoura e não ajudam na renda doméstica nas cidades ainda agrícolas… Com isso, muitas mulheres abortam quando descobrem que o filho é filha e muitas matam ou abandonam suas filhas quando só descobrem tardiamente… Isso acabou resultando em uma desproporção homens-mulheres que preocupa muitos antropólogos nos dias de hoje. Chegaram a acabar com o uso da Ultrassonografia na gestação…, é mole???

Rios, lagos e arquitetura única!

O Dragão: símbolo do Imperador!

 

 

 

 

 

 

 

 

A multidão e a Muralha!

 

 

 

 

 

 

 

Bom, isso para dizer que andar nas calçadas ou no metrô dos grandes centros como Pequim ou Shanghai é como sair de um jogo no maracanã ou de um mega show na Apoteose…, uma multidão! Só que a qualquer hora dia e todos os dias! Achei o máximo ver todos aqueles “olhinhos puxados” nas ruas e no fim das contas nós éramos os diferentões! Todos nos olham de cima a baixo encarando por horas, rindo e às vezes dando tchauzinho e falando um Hello chinês! Apesar de vermos chinas viajando no mundo todo, eles são tantos que os que viajam são a minoria da minoria da população! A grande parte nunca saiu nem mesmo de suas cidades e como não muitos ocidentais vão fazer turismo na China e os que vão (como nós) acabam se diluindo na muvuca de chineses…, muitos estão nos vendo pela primeira vez e chegam até a pedir para tirar foto conosco como se fosemos alguma estrela de Holywood…!!!!

 

Chineses à mesa: rápidos e como fazem barulhos…!

Assim começamos nossa aventura pela China: pelo metrô de Pequim (mais conhecido agora como Beijing pelas Olimpíadas). Estávamos um pouco preocupados com o povo pois todo grupo de chineses turistas que a gente esbarrava pelo mundo era igual: falavam alto como se tivessem brigando, era mal educado, furavam fila, empurravam e esbarravam na gente nos museus para chegar primeiro…, pareciam estar sempre correndo e ligados no 220v! TOTALMENTE diferente da calma e educação dos japoneses (antes achava que eram todos iguais). Quando chegamos não foi diferente mas ao invés de esteriotipá-los como mal-educados passei a classificá-los como “educados da sua maneira”. E descobri que para eles cuspir no chão é sinal de limpeza…, como se estivessem expulsando a poluição da cidade de seus corpos…, arrotar alto após a comida é uma maneira de mostrar satisfação (quanto mais alto e mais vezes melhor)…, fazer vários barulhos com a boca aberta quando comem e aquele “Sssshhhhuuuuuu” alto e interminável ao beber um chá ou uma sopa é fino, furar fila e esbarrar nos outros é uma questão de sobrevivência na cidade grande onde não dá tempo de esperar as pessoas sairem do metrô para você entrar se não a porta fecha… Imaginem? É muita gente mesmo…!!!

 

Os restaurantes não tem nada de China in Box!

 

Ou seja…, na visão deles os “mal-educados” somos nós…, ocidentais! Não conseguem entender a nossa pressa para resolver as coisas pois eles se enrrolam tanto e falam tanto uns com os outros que demoram um ano para atender um pedido (Ex: um check-in no hotel pode durar horas…)

Mas apesar de tudo não tem como não nos encantarmos com eles que são dóceis, prestativos, pacientes e ao invés de tentar te enganar como nos outros países, fazem de tudo para ajudar o turista, mesmo sem conseguir na maioria das vezes pois não falam uma palavra em inglês nem mesmo nos hotéis ou pontos turísticos! Mímica por aqui também não adianta pois até as mímicas são em chinês (Ex: o nosso sinal para o número 10 com as duas mãos abertas não é o mesmo que o deles que fazem uma cruz com os dois indicadores). E olha que o Bife é especialista em mímicas!!! Aaaahhhh. E nem tente aprender a escrever o alfabeto…, mesmo olhando e copiando aquelas letrinhas…, nunca fica igual!

Mas (“graças”) muitas placas e sinais das grandes cidades tem também em inglês e dá para se virar numa boa! É sempre bom sair com o lugar que você quer ir anotado em chinês que um bom livro-guia vai ter e daí é só mostrar para alguém na rua! E nos restaurantes, escolha algum com foto dos pratos…, para não ter surpresas na hora que a comida chega!

 

Morcego no palito e etc…

Aliás…, a culinária chinesa é um capítulo à parte!!! O conceito tá longe de um abrasileirado “China in box” e só conseguimos comer poucos pratos típicos no dia a dia entre Subways, Starbucks e McDonald’s! É muito legal ver e tirar foto da galera comendo aquelas bizarrices mas daí a encarar…, não dá! Exemplos: grilo e morcego frito, bicho da seda ou escorpião no mel, espetinho de cobra, pênis de búfalo, testículos de boi, intestino de galinha, tartaruga assada no forno, um tofu que eles fazem fedido pra caramba… e por aí vai longe…! É no mínimo bem interessante e um restaurante localzão é um ótimo ponto turístico para “People Watching”! Acabamos comendo sem querer a carne de um insetinho frito no meio de uma salada tailandesa que pedimos… Bife me enganou dizendo que eu podia comer que era camarão! Não me convenci até agora…, que filhote de camarão é esse mínimo e que tinha gosto de inseto??? Mãe…, se eu ver uma lagartixa amanteigada vomito (você sabe…, né???) Mas se ficar aqui escrevendo sobre as milhões de diferenças culturais não vou acabar nunca por hoje…!!! Falando um pouco de Pequim, ADORAMOS!!!! Tem muito da China antiga ainda, diferente de Shanghai e Hong Kong! Como visitas imperdíveis:

– A Cidade Proibida: guarde uma manhã e uma meia tarde para ela pois demora para se locomover pelos diferentes palácios e casas onde moravam os Imperadores das Dinastias antigas! A arquitetura é única e linda como toda China antiga, tudo de madeira pintada à mão e bem colorida!

A Cidade Proibida: era só para o alto escalão!

 

– O Palácio de Verão: foi o que mais gostamos e esse merece um dia inteirinho! O lugar é gigantesco, tem um lago lindo e um templo mais lindo ainda (o da Fragância do Buda).

– O templo do céu (Heaven’s Park): um parque bem bonito com vários templos!

– Os arredores do rio Qianhai e a rua Nanluogu Xiang com vários barzinhos e restaurantes irados…, um mais que o outro…, música ao vivo (e boa…, tipo um rock chinês) e gente animada de todo tipo!

 

No Palácio de Verão – Pequim

–  Rua das comidas bizarras (acho que o nome era Wangfunjing Street Food), perto da Cidade Proibida (IMPERDÍVEL MESMO!!!)

– Passeio pelo Hutong de riquixá ou à pé: é tipo uma favelinha labiríntica com casas da china antiga onde hoje mora a população mais pobre. No meio dá para achar novíssimos hotéis, cafés e jardins comuns abertos das casas (“courtyards”). Ficamos em um hotel maneiríssimo num dos Hutongs! Demoramos duas horas para achá-lo com o mochilão nas costas mas valeu a pena!

– Ver um show acrobático (ou ópera chinesa ou Kung-Fu dependendo do seu interesse): fomos no acrobático e adoramos!

 

 

IMPERDÍVEL! A Grande Muralha da China!!!!

 

 

Momento único!!! Mel e a Muralha!

– A GRANDE MURALHA DA CHINA: realmente é a “menina dos olhos” e merece o título de maravilha mundial!!! Descobri que não pode ser vista da lua como diziam mas ainda assim é de uma grandiosidade inimaginável! Só vendo pra crer! Com 8.800 Km de extensão e um bocado de geração para ajudar na construção ela parece de longe uma grande minhoca espalhada pelas colinas! Escolhemos visitar o pedaço mais antigo e famoso (Badaling) pois ouvimos que dava para subir de Cable Car e queria uma foto do alto só que o Cable Car não passa por cima dela e acabamos nos vendo no meio de um mundaréu de chineses que também a visitam pela primeira vez ou voltam para peregrinação (dizem que você só se torna um grande homem quando sobe tudo à pé!). Eles preferem este pedaço…, o que não deixa de ser interessante ver! Mas se você que a muralha só pra você definitivamente escolha outro pedaço…

 

 

O tão falado por Galvão: “Bird’s Nest”!!! Olimpíadas 2008.

Tem muito mais para ver em Pequim como o estádio Olímpico que Bife adorou (Bird’s Nest) mas esses são imperdíveis…

Viajar independente por aqui não é fácil como na Europa e estamos (por incrível que pareça) sem tempo pra nada! Mal estou conseguindo escrever! Perdemos muitas horas com pesquisas, vistos, reservando hotéis e vôos e planejando nossos dias! Deixo Shanghai para o próximo post com mais coisas interessantes sobre a China…!!!

Os bares ao redor do lago: melhor noitada em Pequim!

 

 

 

Palacio de Verão. MAIS FOTOS EM BREVE NO “IMAGENS”!!!

 

in Asia, China

Chegamos na CHINA!!!!!!!!!!

0
by on Junho 22, 2013 at 4:58 pm

Não sei nem por onde começar depois de tanta coisa diferente que já vimos, ouvimos, comemos, cheiramos e sentimos nesses últimos dias após a chegada em Beijing (ou Pequim) na China!!!

Atrasaremos um pouco os posts e sumiremos do facebook por um tempo pois o governo da China proíbe o face e dificulta o acesso a blogs, ao google e etc…! Quem mandou a Dilma não fazer o mesmo…, deu no que deu e ainda está dando por aí (com todo o nosso apoio para um serviço público no Brasil mais justo e melhor como vemos em tantos países…)

Apesar deste bloqueio do governo Chinês à liberdade de expressão e com a ajuda (mais uma vez) da DigitalBlá…, empresa que desenvolveu nosso site, conseguiremos compartilhar os próximos posts!!!

E para começar, deixo vocês com uma experiência gastronômica ÚNICA das bandas de cá: “VAI UM GRILO FRITO AÍ??? E que tal um escorpião caramelizado ou um morceguinho na manteiga??? VEJA O VÍDEO ABAIXO (Eeeeeeeeeca!!!!)

Meu Filmefinal

in Asia, China

Curiosidades (por Bife): “a diferença entre países de 1º e 3º mundo:”

0
by on Junho 18, 2013 at 4:36 pm

Bom…generalizando… (claro que há exceções à regra) podemos dizer que:

– Nos países ricos andamos de trens e metros superpontuais….nos pobres andamos de van, ônibus caindo aos pedaços, taxi e aviões caríssimos (quando não há estradas)!!!

– Nos países ricos não conseguimos falar com ninguém na hora de comprar um ticket de metro/onibus…., é tudo máquina! Nos países pobres temos que falar com pelo menos 3 pessoas para conseguir algo.

– Nos países ricos falamos inglês achando a coisa mais normal do mundo….nos países pobres temos que fazer mímicas e desenhos para conseguirmos comprar por exemplo um ticket de trem (já até imitei uma vaca dentro de um supermercado para falar que queria comprar um leite!!). Uma excessão são os muuuito muuuito pobres que aprendem qualquer língua para conseguir um trocado do turista… Na África por exemplo todo mundo fala inglês!

– Nos países ricos dormimos em uma espelunca sem café da manhã e banheiro pagando U$ 50,00….nos países pobres dorminos em um resort 4 estrelas com café da manhã, piscina e academia pelo mesmo valor.

– Nos países ricos comemos comida de metro (muito boa por sinal)….nos paíse pobres comemos em bons restaurantes.

O fim do conforto nos países ricos: nosso dinheiro vale menos!

– Nos países ricos pagamos o preço dito e não discutimos….nos países pobres gastamos 20% do nosso tempo evitando sermos roubados e negociando até mesmo o preço de um chiclete.

– Nos países ricos sabemos o que pedimos para comer….nos países pobres muitas das vezes só descobrimos quando o prato chega na mesa (nenhuma saudade da cabeça de cabra da Jordania..)

– Nos países ricos o chuveiro fica dentro de um box ou cortina….nos países pobres o chuveiro fica junto com a pia e a privada e o chão fica todo molhado após o banho. Alguns ainda deixam um rodo pra você tirar o excesso no final!

– Nos países ricos o branco é branco….nos países pobres o branco é cinza (roupas de cama, toalha, etc.)

– Nos países ricos se você quer comprar algo é você quem aborda…nos países pobres mesmo não querendo comprar nada você é agressivamente abordado, perseguido, tem sua camisa puxada até dizer na língua local: “não tenho dinheiro” como aprendemos em árabe (“maish feluce…!”)

O repelente de Moçambique

– Nos países ricos as pessoas respeitam as regras….nos países pobres as pessoas respeitam a regra do “cada um por si e dane-se o outro”.

– Nos países ricos você entra no taxi dizendo onde quer ir e o motorista imediatamente liga o taxímetro e o GPS…nos países pobres você tem que implorar para ligar o taxímetro ou saltar puto… Um bacana no Egito cobrou os 10,00 que apareceram no taxímetro certinho mas quando demos 10 na moeda local (o que dava no máximo 5 dólares) ele vem com a história que era DOLAR…

– Nos países ricos eu fico feliz quando vejo uma fila….nos países pobres eu já fico puto porque sei que neguinho vai querer furar na minha frente e eu vou ter que me stressar…

– Nos países ricos você consegue ler ou dormir em um avião….nos países pobres sai até porrada (de verdade!!!) entre as pessoas, nego rouba pão um do outro, deita espalhadão no banco e cria confusão com a aeromoça!

– Nos países ricos você atravessa na faixa de pedestre sem nem olhar para o lado…, se tiver vindo um carro é ele que para! Nos países pobres nego leva o teu braço e ainda te chama de F.D.P…!!!!

 

 E aí, o Brasil se encaixa em uma país de 1º ou 3º mundo? O que você acha?

in Asia, China

Tradução


Continentes

  • América Central-Caribe (1)
  • SlideShow (5)

Contato

Entre em contato conosco !

Respeitamos sua privacidade.