“Ahhh, vai pra Cochinchina…!!!” Fomos.

0
by on Setembro 23, 2013 at 1:26 pm

 

E não é que esse treco é pesado?

E não é que esse treco é pesado?

 Acho que nunca aprendemos tanta coisa em tão pouco tempo! Quem diria que ela realmente existe e que um dia chegaríamos na tão famosa Cochinchina??? A região ficava ao sul do Vietnã e correspondia aos territórios colonizados pela França, inclusive Saigon (atual Ho Chi Min) de onde escrevo! A prova de que estamos cada dia mais loooongeee…

Após cruzar o Paralelo 17, divisão entre os velhos inimigos Vietnam do Norte e do Sul, chegamos de trem em Hoi An! Localizada no Vietnam Central, a cidade fica depois da antiga zona desmilitarizada, nome dado à terra de ninguém entre os dois oponentes!

Mas hoje em dia a guerra virou livro de história e Hoi An, à beira do rio é o maior exemplo de que os vietnamitas vivem em paz! E que paz…!!! A cidade é super relaxante, cheia de bares e restaurantes e a decoração feita com balões de papel coloridos dá o toque final no charme! Um ou outro templo, uma ou outra ponte, casas de antigos mercadores chineses e tá visto! Daí é só relaxar, dar uma volta de bike ou barco e se deliciar com os cafés franco-asiáticos com vista para o rio!

As ruas de Hoi An: Vietnam central

As ruas de Hoi An: Vietnam central

 

 

Descobrimos que as monções são cruéis e imprevisíveis aqui na Ásia! Uma manhã de tempestade pode ser seguida por uma tarde de sol e vice-versa! Pegamos um temporal tão grande nas cavernas que não arriscamos o passeio para a ilha que tem perto de Hoi An (Cham Island). Parecia ser linda e além desta, o Vietnam tem outras praias maravilhosas! Mas como nossos próximos destinos serão de praia (e QUE praias!), optamos por não mais seguir de trem pela costa e pegamos o avião direto para Saigon (Ho Chi Min) no sul. Era quase o preço do trem nas empresas de baixo custo! 

 

 

A velha ponte japonesa: marco da cidade de Hoi An

A velha ponte japonesa: marco da cidade de Hoi An

Terminamos Hoi An em grande estilo sendo convidados para um casamento local! Camarões graúdos, cerveja gelada e o sorriso no rosto dos convidados que nos convidaram e que não falavam inglês foram o ponto alto! Ah…, e claro a foto dos penetras com o noivo!

Casamento em Hoi An: de penetras!

Casamento em Hoi An: de penetras!

 

 

 

 

 

 

No fim das contas acho que o Vietnam do norte é mais turístico e tem mais beleza natural que o sul e seria nossa escolha (Sapa + Halong Bay + Hanói) se já não tivéssemos conhecido o sul da China!

 

A Paris que há em mim: Ho Chi Min (Saigon)

A Paris que há em mim: Ho Chi Min (Saigon)

Ho Chi Min foi assim chamada após a vitória do norte contra o sul e os americanos, unificação do país e implementação do comunismo em todo o território. Desde então vivem um momento de paz depois de anos de massacre e sofrimento. Ressentimento ao povo americano ainda existe guardado bem lá no fundo dos cidadãos e explanado em qualquer museu que fale sobre a guerra.

 O agente Orange deixou rastros de horror por onde se espalhou. Milhões de crianças malformadas e adultos sequelados sofreram as consequências de uma guerra que violou qualquer direito humano em prol do orgulho político de um país que quis dominar o mundo! Mas o mundo é muito grande e nunca nenhum soldado treinado para matar e morrer será melhor que o povo que conhece a sua casa de olhos fechados!

Bife vendo as consequências do agente Orange: museu da guerra em Ho Chi Min

Bife vendo as consequências do agente Orange: museu da guerra em Ho Chi Min

As florestas foram o abrigo dos Vietcongs (guerrilheiros do Vietnam do norte) e o pesadelo dos americanos! O agente Orange, arma química, serviu para acabar com elas e junto com qualquer ser vivo ao seu redor abrindo assim o campo de visão e de batalha. Mas apesar do imenso estrago ambiental e morte de milhões de inocentes, os Vietcongs resistiram firme até a opnião pública e a própria população americana cair em cima do governo. Cartazes, passeatas e revoltas pelo mundo todo estavam de um lado apenas: o lado dos oprimidos! Mal sabiam que oprimidos também estavam sendo os soldados americanos…, os jornais não contavam as derrotas! O mundo ganhou e o governo dos EUA cedeu pois seus próprios soldados começaram a desistir de lutar. Os que participaram das atrocidades nunca mais foram os mesmos. Os que as sofreram idem…

 

 

A paz com mágoas! Presidente Truong Tan Sang com Obama. Culpam os EUA até hoje por não terem ressarcido os crimes de guerra!

A paz com mágoas! Presidente Truong Tan Sang com Obama. Culpam os EUA até hoje por não terem ressarcido os crimes de guerra!

Ho Chi Min (o líder) não viveu para ver a vitória mas ainda vive no coração de cada vietnamita como exemplo de luta e perseverança. A cidade de Saigon se foi mas olhando para os arranha-céus, lojas, fábricas, carros modernos e shoppings de hoje em dia podemos dizer que pouco resta também da socialista Ho Chi Min! O Vietnam se modernizou, globalizou e apertou as mãos de Bill Clinton… Águas passadas…

Palácio do antigo governo do Vietnam do Sul, hoje Palácio da Reunificação! Saigon.

Palácio do antigo governo do Vietnam do Sul, hoje Palácio da Reunificação! Saigon.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto vencedora do prêmio Pulitzer de 1973: "menina de napalm"

Foto vencedora do prêmio Pulitzer de 1973: “menina de napalm”

  Não posso deixar de falar na foto ao lado que ficou como símbolo mundial das barbaridades da guerra! Aconteceu em uma vila logo após o bombardeio de aviões americanos com mísseis carregados de Napalm. A menina da foto estava escondida em um templo com sua família quando tudo começou a pegar fogo, inclusive eles! Ela tirou a roupa e correu gritando: “tá quente…, tá quente” (momento da foto). Eles não tiveram a mesma sorte… O fotógrafo de guerra a levou para o hospital com queimaduras imensas nas costas e acabou salvando sua vida! Hoje ela mora no Canadá após ter estudado medicina em Cuba e ainda mantém contato com ele. Imagino o que deve passar na sua cabeça toda vez que vê a foto…

Incensos gigantes em caracol com pedidos pendurados: MAIS paz ao Vietnam!

Incensos gigantes em caracol com pedidos pendurados: MAIS paz ao Vietnam!

 

 

 

Acabamos por aqui e amanhã seguimos para o início das “férias das férias”!!! Filipinas, Tailândia (de novo e em família), Bali, Austrália, Nova Zelândia, Hawai, Caribe… Tá mau não!!! Talvez não tenhamos mais tanta prosa pra contar mas em compensação esperamos fazer juz às aulas de fotografia do Ateliê da Imagem (www.ateliedaimagem.com.br), um dos apoiadores do nosso “projeto” e mostrar em JPEG as praias mais lindas do mundo!!!

Pra acabar bem, mais uma de Hoi An: noite no rio!

Pra acabar bem, mais uma de Hoi An: noite no rio!

in Asia, Vietnam

Good Morning Vietnam!

0
by on Setembro 20, 2013 at 4:27 pm

 

O clássico chapéu

O clássico chapéu

Chamada muito ouvida na época da guerra, marcada pelo filme com Robin Williams e hoje presente nas camisetas para souvenir das milhões de lojas de Hanói (capital) para gringo! O Vietnam sofreu assim como os milhões de americanos que lutaram em uma guerra que não era a deles. Demoraram quase 20 anos para perceberem que não ganhariam contra um povo que já tinha muitas batalhas vencidas nas costas para contar… Expulsaram chineses e franceses que colonizaram o o país por muito tempo. Esperavam o tempo que fosse. Enxotaram os americanos que literalmente caíram por lá de paraquedas!

Único lado bom? A revolta gera sofrimento em massa e sofrimento em massa estimula a criação do movimento artístico mais importante de todos os tempos: o Woodstock! Geração hippie mas não tão alienada assim, cantou e se teletransportou para um outro mundo de paz, amor e música! Nada me emociona tanto quanto o show de Country Joe onde ao cantar “I-Feel-Like-I’m-Fixin’-to-Die Rag”, o povo cansado e cheio de lama vai saindo devagar de seu mundo interior e começa a ficar de pé e a cantar junto:

Vende em todo lugar! Não parece mas isso é a bicicleta de um vendedor

Vende em todo lugar! Não parece mas isso é a bicicleta de um vendedor

 

And it’s one, two, three, What are we fighting for ?

Don’t ask me, I don’t give a damn,

Next stop is Vietnam;

And it’s five, six, seven, Open up the pearly gates,

Well there ain’t no time to wonder why,

Whoopee! we’re all gonna die.

Sem falar na sensacional chamada: “Listen people, I don’t know how you expect to ever stop the war if you can’t sing any better than that. There’s about 300,000 of you fuckers out there. I want you to start singing. Come on!”

Chegamos por Hanói e adoramos a “vibe” do quarteirão antigo, onde ficamos! O Vietnam é talvez o país mais barato do sudeste asiático para a qualidade de hotéis que oferece o que ajudou muito o nosso orçamento junto com a queda do dólar (UFA…)

 

Motos e motos... e mais motos!

Motos e motos… e mais motos!

Até agora nenhum país foi mais perigoso que o Brasil, nem mesmo o tão temido Iran! E no Vietnam o único perigo é atravessar as ruas pois as milhões de motos são frenéticas e adivinhem? Não tem sinal! A manha é sair andando devagar, sem correr que eles vão desviando de nós aos poucos. Uma aventura na confiança total em suas habilidades!

Vimos o mausoléu de Ho-Chi-Min, maior inspirador e líder que o Vietnam socialista do norte já teve. Como todos os grandes líderes comunistas (Lenin, Mao…) ele foi embalsamado e seu corpo viaja até a Rússia todo ano para manutenção! Bizarro… E fora um ou outro templo, o legal de Hanói é andar pelas ruas e ver a população com seu chapéu cônico de palha bem típico vendendo as mais diferentes comidas de rua! As lojas de arte e artesanato são bem bacanas e dá vontade de comprar um monte de coisa, o que infelizmente não podemos! À noite rola um show de marionetes na água, famoso no Vietnam e no mundo, que fica ao redor do lago mais famoso onde todos vão passar o fim de tarde!

 

Ho Chi Min: o ídolo do Vietnam comunista!

Ho Chi Min: o ídolo do Vietnam comunista!

 

Sua delícia: que saudade!!!

Sua delícia: que saudade!!!

 

A arquitetura e os cafés tem uma certa influencia francesa com toque de Ásia e matamos a saudade do pão francês encontrado facilmente pelas ruas! Outra dica legal é descansar os pés no fim do dia fazendo um passeio pelo quarteirão antigo de bicicleta com cadeirinha pra dois. Um “motorista” pedala e a gente só aproveita!

Aproveitamos para agradecer um dos nossos apoiadores mais uma vez: o curso de idiomas Ann Arbor do Leblon (www.annarbor.com.br) onde fizemos o Francês I. Sem seus ensinamentos não entenderíamos muita coisa nos pontos turísticos já que é mais fácil acharmos uma tradução para o francês do que para o inglês! Impressionante como em apenas 6 meses de curso conseguimos aprender o básico e trocar algumas palavras com os franceses que conhecemosmos pelo caminho! Enchanté!!!

 

 

Com 6 meses de Ann Arbor, lendo e falando francês!

Com 6 meses de Ann Arbor, lendo e falando francês!

O país é muito longo e para quem tem pouco tempo o melhor é escolher entre o norte e o sul. O norte é mais típico e inclui um passeio de barco por Halong Bay que é um rio verde esmeralda com formações motanhosas esparsas no meio, cenário lindo! E Sapa que é onde dá para visitar as vilas e seus humildes moradores além de fazer um trekking pelos enormes terraços de arroz!

Nós escolhemos o sul por já termos ido a Guílìn (China) que é bem parecido com o norte, afinal

O interior da Paradise Cave

O interior da Paradise Cave

dividem a mesma costa! Eu (Mel) fiquei pasma com a beleza de uma foto que vi na exposição do World Press 2011: o interior de uma caverna gigantesca no Vietnam! Decobrimos que fica ao longo da linha norte-sul do trem que vai de Hanói a Ho-Chi-Min, antiga Saigon. Como pegaríamos o trem de qualquer forma, paramos na cidade que é porta de entrada para as cavernas (Dong Hói). A linda caverna da foto que também é a maior caverna do mundo está fechada ainda para visitação pública pois só foi descoberta em 2011 por um morador local. Pena!!! Mas existe um passeio para duas outras quase tão grandes quanto e maravilhosas: Phong Nha Cave (55Km de caverna) e Paradise Cave. O acesso é complicado e tem que ser através de um tour a não ser que você queira se aventurar pelas florestas do Vietnam central como o Rambo e acabar em um lago cheio de sange-sugas…!!! Fora as minas que ainda existem espalhadas pela floresta! Fizemos o tour do hotel que foi ótimo porque além de tudo, choveu o tempo todo!

 

Entrando de barco na Phong Nha Cave: outro mundo!

Entrando de barco na Phong Nha Cave: outro mundo!

 

 

Passeio clássico em Hanói: bike com cadeirinha para dois!

Passeio clássico em Hanói: bike com cadeirinha para dois!

Entrando nas cavernas (uma a pé e a outra de barco) parece que você ultrapassa um portal para outra galáxia! São enormes por dentro e esculpidas naturalmente pelas forças geográficas milenares. O silêncio chega a ser assustador e na que fomos de barco tivemos a imensa sorte de acontecer de repente um apagão bem na hora que estávamos fundo na caverna! Foi o momento mais mágico de todos pois não víamos um milímetro à nossa frente! Aí sim deu para notarmos a imensidão e energia daquele lugar que não mostrava um sinal da luz do dia! Um encanto sem fim!

O passeio é de um dia é foi ótimo para darmos uma quebrada no longo caminho Hanói-Ho Chi Min (40 horas de trem). Pararemos ainda em Hoi An, outra cidade na costa tombada pela UNESCO! Escrevo do trem para lá (6h de Dong Hói). Até a chegada!

Prisão em Hanói: onde muitos americanos pagaram seus pecados! Guilhotina: usada na época dos franceses contra vietnamitas que brigavam pela independência!

Prisão em Hanói: onde muitos americanos pagaram seus pecados! Guilhotina: usada na época dos franceses contra vietnamitas que brigavam pela independência!

 

in Asia, Vietnam

Tradução


Continentes

  • América Central-Caribe (1)
  • SlideShow (5)

Contato

Entre em contato conosco !

Respeitamos sua privacidade.