Bagan e o budismo, Yangon e a culltura de Myanmar!

0
by on Setembro 19, 2013 at 11:29 am

 

Budismo em Myanmar

Budismo em Myanmar

Bagan fica a 5h de Mandalay e o ônibus é até bem razoável apesar da estrada horrível de duas mãos com espaço para só um carro! A cidade é um tributo megalomaníaco de antigos reis e imperadores ao budismo e já abrigou mais de 4000 templos. Hoje 1500 ainda existem e pelo menos uns 10-15 deles são de impressionar até mesmo 2 viajantes viajados que já viram bastante coisa pela estrada! O cenário do alto parece o de um filme de ficção pelo formato triangular dos templos, tamanho e pela quantidade deles! E por terra podemos explorar um a um de bicicleta, o que fez nossos dias ainda mais incríveis e agradáveis!

Por do sol nos templos de Bagan

Por do sol nos templos de Bagan

 

 

 

 

 

Bagan é super pequena, tem ar de cidadezinha do interior e os templos complementam seu charme. Tudo em Myanmar é folheado a ouro desde souvenir até a cobertura de alguns templos. Imaginem como brilham no sol de meio dia?!!! Existem alguns que podem ser escalados para o espetáculo do por do sol e só então conseguimos entender a intensidade e energia daquele lugar!

Os milhões de Budhas de Myanmar

Os milhões de Budhas de Myanmar

Aproveitando, não posso deixar de falar um pouco sobre o budismo e seus preceitos que são bem bonitos e mais palpáveis que em outras religiões! Aprendemos que existiram 4 Budhas e o famoso Sidarta Gautama não é aquele que aparece no ocidente gordinho, careca e sorridente. Este se chama Hotei ou “Happy Budha” para os chineses que são os únicos que o consideram como tendo sido o 5º Budha. Em Myanmar parou no quarto e eles ainda aguardam a chegada do quinto. Portanto a religião não é “teísta” pois não existe um Deus e sim seres estudiosos e iluminados (os Budhas) que conseguiram através de suas mentes acabar com todo o sofrimento e evoluir como um ser desprendido da dor física… Ao invés da reza as pessoas meditam ou mentalizam pensamentos positivos ou até desejos que gostariam de conquistar. Pregam o bem ao outro começando por si próprio. O maior orgulho de uma mãe em Myanmar não é ver seu filho formado até porque por muito tempo o governo manteve fechadas as universidades, e sim ver seu filho monge ou filha “nun” que é a versão feminina do monge.

 

Monges e seus robes "safrão"

Monges e seus robes “safrão”

Eles vestem robes de cor vinho ou laranja dependendo da região e elas rosa e só assim dá para diferenciar homens de mulheres já que de cabelos raspados e olhos puxados eles ficam iguaizinhos! A cor veio de fatos antigos onde os monges eram orientados por Budha a vestirem restos de panos que não mais seriam usados por ninguém como: restos de hospitais, panos menstruais jogados fora, fraldas de crianças e etc… Eles lavavam esses restos de pano e ferviam junto com flores e especiarias dentre elas o açafrão…, daí a cor alaranjada e o nome que recebeu: “robe safrão”!

As "Nuns" - versão feminina do monge

As “Nuns” – versão feminina do monge

 

 

Uns dizem que os monges e as nuns raspam seus cabelos e sobrancelhas pois como o cabelo é sagrado acabam tocando nele menos vezes se raspados. Outros dizem que cabelos raspados não demandam tempo para cuidar e lavar, sobrando mais horas do dia para a meditação. O fato é: chamam a atenção por onde passam e são super respeitados pela população. Têm até lugar preferencial em ônibus e trens!!!

 

 

A mais imperiosa pagoda do país: cidade de Yangoon

A mais imperiosa pagoda do país: cidade de Yangoon

As pagodas ou estupas são templos budistas que lembram uma pirâmide e simbolizam a montanha em que Budha foi iluminado! Antigamente eram usados para guardar suas relíquias e os templos modernos seguiram o mesmo padrão!

Todos os templos de Bagan são antigos ficando o estudo do budismo mais para grandes cidades e seguimos então para a nossa última parada em Myanmar: a grande cidade de Yangon! Fora o maior templo do país (Shwedagon Paya) e as diferenças culturais não tem muito a oferecer mas este templo vale o deslocamento de tão grandioso e detalhado! Um guia nos ajudou a desvendá-lo melhor e a tirar nossas dúvidas!

Bagan: estupas e templos antigos

Bagan: estupas e templos antigos

 

Termino com as diferenças culturais que são sempre muito interessantes:

1- Idosos falam inglês e jovens raramente: como a colonização foi inglesa é mais fácil achar alguém que fale inglês que tenha vivido o mais próximo daquela época!

2- Canga é a vestimenta oficial de homens e meninos, como no Sri Lanka.

3- A direção dos carros varia e pode ser à esquerda como nós ou à direita como os ingleses. Mais motos do que carro é a regra!

 

4- Absolutamente todos, principalmente mulheres e crianças usam no rosto uma pasta cor creme. Descobrimos que o nome é Tenaká (ou algo do tipo) e serve como protetor solar. É feito da madeira do sândalo e custa beeeem mais barato!

 

O Tenaká, protetor solar feito de madeira de sândalo

O Tenaká, protetor solar feito de madeira de sândalo

5- Ao lado dos jornaleiros há uma tenda com banquinhos baixos de plástico para as pessoas ficarem lendo o jornal! E claro, bebendo ou comendo algo já que não se anda um metro sem achar uma comida de rua! Difícil era achar um restaurante! Todo mundo come pelas barracas mesmo!

6- Todos os homens mascavam um treco nojento e ficavam com a boca, dentes e saliva toda vermelha! O chão era todo cuspido de vermelho e o chiclete natural (ou pasta de dente para uns) é vendido em cada esquina dentro de uma folha verde! Não descobri do que era feito…

O "posto de gasolina"

O “posto de gasolina”

 

7- Posto de gasolina? Não vimos mas não faltam barraquinhas vendendo combustível engarrafado. É dizer quantas garrafas você quer que o “frentista” vai colocando no tanque do carro!

8- É impressionante o que se pode fazer com vários caroços de melancia juntos! E não é que fica bacana? Bolsas, acessórios, brinquedos e por aí vai…

9- Mais impressionante ainda como equilibram tanta coisa na cabeça!

A arte do equilíbrio: o paninho ajuda!

A arte do equilíbrio: o paninho ajuda!

 

 

 

 

 

 

E assim finalizamos mais um país único em suas características e seguimos viagem pelo surpreendente sudeste asiático onde cada país é um “flash”… , ou vários!

Tudo folheado a ouro...!!!

Tudo folheado a ouro…!!!

 

Ananda Temple: um dos mais belos de Bagan

Ananda Temple: um dos mais belos de Bagan

 

 

 

 

 

 

 

 

 

As comidas de rua: comuns em toda a Ásia!

As comidas de rua: comuns em toda a Ásia!

 

in Asia, Myamar

Voltando ao século passado: Myanmar

0
by on Setembro 16, 2013 at 5:22 pm

 

Estátuas de Budha em Myanmar - incontáveis!

Estátuas de Budha em Myanmar – incontáveis!

Myanmar ou… Burma ou… Birmânia, como queiram! Tão perto da Tailândia mas tão longe do mundo todo! País dos monges e templos budistas, perdemos a conta da quantidade de estátuas de Buda que vimos pelos caminhos…, e monges!. A sensação é a de ter entrado no carro do Dr. Brown em “De volta para o futuro” e ter escolhido um ano antes de 1900 em um lugar meio China, meio Índia. Charretes, agricultores com seus chapéus de palha ou cestos equilibrados na cabeça, ervas e plantas no lugar de produtos como: pasta de dente e protetor solar e o sorriso sem dente de um povo ultra simpático, ainda inocente e super humilde!

Pobre e parado no tempo, o país tem uma infra-estrutura mínima para o turismo que ainda engatinha, estradas péssimas, companhias aéreas não muito confiáveis e poucas opções de hotéis e restaurantes o que torna a viagem por estas bandas ainda mais aventureira e emocionante apesar dos preços mais altos do que no resto do sudeste asiático. Mas quem pensa em vir, que venha logo pois já vemos o movimento das coisas mudando após a “abertura do país”. Venham antes da chegada do primeiro Mc Donald’s!!

País basicamente rural e com lindos templos

País basicamente rural e com lindos templos

 

Abertura? Pois é…, lá vou eu para os fatos históricos complicados mas indispensáveis para entender como que em pleno século XXI ainda se vê peão de obra que carrega cimento de um andar para outro na cabeça e pela escada tosca de madeira e cavalos como único meio de transporte em cidades pequenas!

Burma, favorito do povo ou Myanmar escolhido pelo governo militar para o novo nome do país foi durante muitos anos colonizado pelos ingleses. Como todo lado bom tem seu lado ruim, os ingleses trouxeram ferrovias, escolas e crescimento econômico mas esqueceram sua educação e finesse em Londres ignorando costumes locais como por exemplo tirar os sapatos para entrar nos templos e casas. A xenofobia cresceu ano a ano e após a conquista da independência e logo depois o golpe militar, estrangeiros e suas indústrias foram escorraçados do país e se tornaram “non gratos”.

 

"Pick-up": agora sim entendemos o sentido da palavra. Transporte público de Myanmar

“Pick-up”: agora sim entendemos o sentido da palavra. Transporte público de Myanmar

O país “se fechou”, proibiu qualquer coisa que viesse de fora das suas terras e vive até hoje uma ditadura militar corrupta e repressora, detonada mundialmente como uma das maiores agressoras dos direitos humanos. Falar em democracia é crime e até hoje muitos presos políticos ainda existem. Aung San Suu Kyi é a mais famosa deles e ganhadora do Nobel da Paz em 1991. Seus ideais democráticos e discursos em prol dos direitos humanos fez o governo manter sua prisão domiciliar por quase 15 anos. Teve a opção do asilo político em Londres, onde morava seu marido, mas negou a liberdade fora de seu país e conseguiu o que queria: presa incomodou mais do que solta! Até o U2 fez uma música em sua homenagem chamada “Walk On”:

Love is not the easy thing

 The only baggage you can bring

 Is all that you can’t leave behind

Walk on! Walk on!

                                                                           What you got, they can’t steal it

                                                                            No, they can’t even feel it

                                                                            Walk on! Walk on!

                                                                            Stay safe tonight”

                                                                              Home! That’s where the hurt is”

Mandalay: antigos monastérios

Mandalay: antigos monastérios

 

                                                                            

Seu marido morreu de câncer à distância de meio mundo e ela? Persistiu presa e resistiu…

Com a piora dos índices socio-econômicos, qualidade de vida, reputação mundial do país e sanção econômica o governo militar começou a mudar um pouco seus planos e em 2010  iniciou a “abertura do país”. Libertou Suu Kyi e tem facilitado cada vez mais o turismo e a interação com o mundo! As coisas têm mudado rápido e até pouco tempo atrás só aceitavam dinheiro e não tinha “ATM” para sacarmos. Hoje já aceitam cartão de crédito, acessam facebook e outros sites antes bloqueados e já bebem Coca-Cola!

Colégio em Mandalay - reparem na sainha do uniforme para meninos ou meninas!

Colégio em Mandalay – reparem na sainha do uniforme para meninos ou meninas!

É famoso por ser o país onde respira-se o budismo em cada esquina e foi ótimo para aprendermos mais sobre a maravilhosa filosofia, doutrina ou religião, seja lá como cada um considera! Falarei mais no próximo post…

 

Templos budistas de Mandalay - cidade ao norte

Templos budistas de Mandalay – cidade ao norte

Chegamos por Mandalay, cidade mais ao norte, que têm templos e monastérios lindos, antigos e novos e um complexo de palácios imperiais de arquitetura bem parecida com a Cidade Proibida na China. É uma cidade sede para visita à mais 4 cidades pequenas ao redor…, passeio de um dia se você alugar um carro com motorista! Caro…, sim! Mas a única opção ao menos que você queira ir em uma das “pick-ups” atochadas de gente que é o transporte público mais usado no país! Quem vai pendurado paga a mesma coisa!

 

Ponte de madeira Amanrapura - uma das mais longas do mundo

Ponte de madeira Amarapura – uma das mais longas do mundo

 

 

 

Gostamos mais de Amarapura e Inwa. A primeira tem uma ponte gigante de mais de 200 anos, toda de madeira e super charmosa, onde a população local vai passar a tarde e ver o por do sol! Melhor lugar para “people-watching”, comprar um souvenir e ver o trabalho dos vários artistas de rua.

 

 

Monges e futuros monges - fila para a cerimônia do almoço

Monges e futuros monges – fila para a cerimônia do almoço

Vale ir pela manhã para ver a cerimônia dos monges indo almoçar (10:30) no monastério ao lado! São mais de 1000 monges, incluindo crianças e jovens ainda em estudo que fazem uma fila enorme para o refeitório. Sendo discreto dá para tirar foto pois o monastério é aberto à visitação mas tem sempre um “Joselito”, geralmente chinês que cola a cara nos coitados dos monges que só querem seu sossego e almoçar em paz e tiram foto “com eles”. Uns mais sem noção entram no refeitório, pegam o arroz e entregam para os monges, colocam comida no seus pratos…, vergonha alheia total!!! Mas foi legal para aprender mais sobre o dia a dia da vida no monastério.

 

 

Charrete em Inwa - altas emoções nas estradas rudimentares

Charrete em Inwa – altas emoções nas estradas rudimentares

Inwa é a cidade mais rústica e mais parada no tempo de todas! Chega-se de barco, a locomoção é de charrete e as casas de bamboo! Templos e monastérios pelo caminho são as atrações!

De Mandalay seguimos para Bagan, cidade central e histórica e até então já deu para sentir um pouco o país que fica do outro lado do túnel do tempo!

Monastério em Amarapura - perto de Mandalay

Monastério em Amarapura – perto de Mandalay

As coisas mudando..., monge no celular.Tempos modernos!

As coisas mudando…, monge no celular.Tempos modernos!

 

 

 

 

 

 

 

 

Budha. Reparem que não é aquele gordinho sorridente (mais explicações no próximo post)

Budha. Reparem que não é aquele gordinho sorridente (mais explicações no próximo post)

 

 

in Asia, Myamar

Tradução


Continentes

  • América Central-Caribe (1)
  • SlideShow (5)

Contato

Entre em contato conosco !

Respeitamos sua privacidade.