Um mês de Leste Europeu: Bife!

0
by on Abril 25, 2013 at 11:21 pm

Concorrência desleal por estas bandas (Mel)

É óbvio que o mundo é bem diferente de um lugar para o outro, mas após passarmos mais de 2 meses na Africa e Oriente Médio, entrar na Europa deixou isso ainda mais claro. Ainda mais no lado leste da Europa (sem dúvida o mais diferente para nós brasileiros).

A Bulgaria me surpreendeu pela simpatia que senti nas pessoas. Sempre que precisamos fomos bem tratados (exceto quando chegamos as 6:30 da manhã e o cara do hotel mandou esperar do lado de fora a 2 graus até as 7 da manhã…que filho da p….). As pessoas foram o que mais me chamou a atenção. De resto, honestamente, não vi nada de especial. A capital Sofia é até legalzinha mas nada de mais….Veliko Tarnovo foi o ponto de destaque do país na minha opinião. Atravessamos todo o país de ônibus e trens e a estrutura é simples, eficiente e barata.

Chegamos na Romenia pela sua capital Bucareste, uma cidade já maior, com mais coisas para vermos. O que não falta por essas bandas são cafés, museus e Igrejas!! Eu me amarro em um cafézinho…ainda mais nos daqui da Europa que são irados…depois de andar algumas horas com a mochila fica ainda melhor…

Já em relação aos museus resolvi que farei uma “boa” seleção!!! Tem desde museu superinteressante até museu que conta a história do coelho vermelho…e definitivamente eu não tenho saco para esses…depois de entrar em alguns para acompanhar a Mel e sair em 5 minutos perdi o saco….museu da história do rádio??? Porra nem rádio eu tinha em casa!!! Vou fazer o que entrando nesses??? Eu gosto dos que contam a história do país…tipo museu que conta o que o país passou durante a segunda guerra…esses eu saio sabendo mais do que quando entrei….quando canso espero a Mel sentado geralmente em um café na saída…eu sei que depois ela vai escrever seus posts mesmos…então o que ainda não tiver aprendido aprendo lendo o blog….até porque se deixar ela é capaz de ficar 6 horas vendo o museu da pilha!!! Meus Deus como consegue???? Ela realmente é “cabeçuda” não é a toa…

Museus

 

As igrejas são iguais aos museus: tem em cada esquina. Resolvi que só vou entrar nas “picas das galáxias”. Até porque sinceramente me nego a pagar para entrar em uma . Acho um absurdo as igrejas cobrarem…pior é que várias ainda cobram “a parte” para tirarmos fotos dentro!!! Virou instituição privada com fim lucrativo…..

De Bucareste fomos para a Transilvânia ver a terra do Drácula!! Foi legal….as cidades menores são bem bonitas. Mais uma vez fizemos tudo por terra e foi bem tranquilo e barato.

Continuamos subindo até a Ucrania. País que já deixa bem claro a influência que o socialismo teve por essas bandas….os prédios são horrorosos e o povo é loiro de olho verde. Me surpreendi muito positivamente com o país. Esperava que as pessoas tivessem a cara mais “amarrada” e sofrida…mas o que vi foi um país já mais moderno do que seus vizinhos de baixo. Achei Kiev mais legal do que Lviv (que é considerada mais turística).

 

Free Walking Tours

Resumindo esses primeiros 3 países do Leste Europeu…diria que não sairia do Brasil para visitar nenhum deles isoladamente. Mas visitar o Leste Europeu conjugando alguns países vale muito a pena. A cultura é completamente diferente do outro lado da Europa, a fisionomia das pessoas, a comida (quem gosta de porco vai delirar!!!) e a história. E acreditam que é bem mais barato do que a Africa??? Do que o Rio de Janeiro nem se fala…..

Cafés

LVIV…IT…!!! Um viva a Lviv! Ucrânia ainda…

0
by on Abril 15, 2013 at 7:37 pm

 

Vendedora de balas

Foi difícil encurtar a Ucrânia como queríamos! Ao invés de 5 ficamos 7 noites pois Lviv não nos deixou ir embora tão rápido! Primeiro porque só tinha um lugar no trem para Polônia no dia que queríamos…, tivemos que comprar para um dia depois! Sorte nossa pois em segundo…, A.M.A.M.O.S Lviv! Fica como dica nunca deixar para comprar trens de longa duração em cima da hora, principalmente em alta temporada!

A cidade toda é tombada pela UNESCO pois manteve até hoje a arquitetura rococó e barroca com prédios coloridos e antiguinhos ao redor de uma praça que de tão viva é a alma da cidade! Sentados em um café no primeiro fim de tarde com sol no Leste Europeu finalmente percebemos: ”É…, chegamos na Europa”! A linda Opera House estilo Teatro Municipal fica bem no início da praça e o seu restaurante de cara já impressionou: entramos por uma gigante porta de madeira velha, descemos para o underground de uma escada temática como se fosse os bastidores do teatro e através de um espelhão vimos um cara-personagem que nos deu um susto ao surgir de repente! Em ucraniano (claro!) falou algo que não entendemos (claro!) até que veio com duas roupas para vestirmos, um vestido longo de princesa e uma bata de príncipe. Aí percebemos que tínhamos que entrar assim… Bife se recusou no início (“Pô maluco…, não vou botar essa roupa de palhaço não”) mas depois caiu na brincadeira!!! Entrando…, surpresa melhor ainda: um telão com Dave Mathews e show cover dos Beatles depois de 22h. Nem preciso dizer que estava como pinta no lixo!!!! Ainda mais depois de tanta música árabe na cabeça…

O trenzinho que atravessa a cidade e seus cafés

Cheguei à conclusão que gosto de cidade pequena e Bife das médias. E depois do caos de Kiev, Lviv foi quase umas férias das férias! Mais dois lugares valem o relato: um restaurante também underground que imita os tempos da guerra onde garçons quase te matam de susto com tiros de mentira e tem um guarda na entrada que pede para você repetir “Слава українським”…, quase impossível para nós dois mas conseguimos e passamos na primeira etapa. A segunda ainda antes de entrar era tomar uma dose de vodka dada pelo guarda num copinho…, essa foi mole! Só depois no google que descobrimos que o que falamos era “Glória a Ucrânia!” Realmente você se sente um soldado comendo no meio da guerra… Chega a ser indigesto! E por fim mas não menos ótimo uma vitrine com um gordão cheio de farinha com um rolo na mão fazendo massa nos fez entrar. O cheiro era o melhor que já senti barrando de longe o do “Colher de Pau”! Strudels e cheese cakes quentinhos e feitos na hora eram a sensação junto com 3 potes gigantes de calda quente self-service (chocolate, vanila e berry). Conclusão: o segundo dia da minha dieta foi para o espaço (mas bem feliz!).

Lviv do alto da torre da prefeitura

O barzinho da Guerra

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma outra ótima imperdível dica são os “Frees City Tours” que fizemos na Bulgária, Romênia e aqui na Ucrânia. Estudantes e amantes de suas cidades se prontificam a todo dia levar o grupo que aparecer para uma city walk gratuito. Mostram tudo e contam a história por vezes muito melhor que um tour pago em uma agência! Achei muito bacana isso e ao final ficam felizes com qualquer agrado financeiro!

No próximo post já estaremos em Cracóvia na Polônia depois de mais um sleeping train noturno (6h e ½) que sempre espero ansiosa! Adoro essas viagens de trem e ao contrário do que muitos devem estar pensando pra mim é um luxo só! Deitar na cama, ler um livro e ver o mundo passar através de um janelão enorme…, não tem preço! Melhor do que muito filme 3D…! E melhor…, ainda economizamos hotel!!!!!

O artesanato

Um Lord em Lviv!

in Europa, Ucrania

A Ucrânia e o desastre em Chernobyl

0
by on Abril 12, 2013 at 6:16 pm

Tanque “Peace and Love”

 Vocês imaginam qual é a comida típica da Ucrânia? Ou que tipo de bebida gostam? Ou a cor do céu? Ou o que faz um cidadão ucraniano nos fins de semana? Vocês conhecem alguém da Ucrânia ou que já tenha passado férias aqui? Pois é…, nem a gente!!! E essa é a resposta para a pergunta que estão doidos para nos fazer neste momento: o que estão fazendo aí ao invés de tomando um bom vinho na França ou comendo “aquela” massa italiana? Algumas respostas: conhecer o completo desconhecido, guardar os “Highlights Europeus” para fazer de mala de rodinha (e não mochilão) e sem orçamentos e planilhas…! Ah…, e no meu caso com lindos, novo e cheirosos sobretudos no lugar do meu casaco verde de todo dia!

Museu da Guerra em Kiev – tem uma luva feita com restos de pele humana!

 Viemos de trem (agora o certo) da Romênia (13h) e para nossa surpresa este não tinha comida e nem sinal dela! Nada se vendia no trem e nossos biscoitos só durariam para as primeiras 4-6h da viagem! Dieta forçada, racionamento de água e vivendo o socialismo na pele ao dividir o pouco biscoito com um casal de americanos também desavisado e esfomeado!

Lenin hoje só pra gringo e em souvenir!

Chegamos em Chernivtzi finalmente e descansamos 1 dia para pegar mais um “Sleeping Train” de 15h até Kiev, capital da Ucrânia! O céu? Cinza como todo o leste Europeu parece ser! Comida típica? Uma gororoba de polenta com molho de queijo e bacon, porco e muuuuitaaa gordura!!! A bebida é Vodka, herança russa. As mulheres já tem mais cara de “bonequinhas de porcelana”! Mais arrumadas e com cada casaco mais lindo que o outro cheios de pelos! A cidade tem a mais linda universidade que já vi (barrando a Jonh’s Hopkings) e só! Um dia foi muito!

 

 

50 tons de cinza – Ucrânia e Leste Europeu

  Kiev é a frenética capital, já deu para sentir ao sairmos do trem e entrarmos no metrô! Bizarro de cheio…, pior que a linha 2 do Rio! Na rua e de mochilas já começamos a ser empurrados igual gado pela massa que vinha atrás de nós até não mais termos domínio sobre nossa direção! A sorte é que é uma mesma para todos: o METRÔ! Nunca vi tanta gente! A escada rolante é uma das maiores do mundo pois o metrô é no centro da terra de tão fundo! Tem lado certo para andar lá dentro e nem tente andar do outro lado porque se não é morte por esmagamento na certa! Por um breve momento me fez lembrar dos blocos de Carnaval do Rio onde uma vez fui levantada pela multidão mas só por um breve momento pois o frio do lado de fora e a falta de cor da cidade já me trouxe de volta ao Leste Europeu!

O gigantesco metro de Kiev no fim de semana pois durante ela este corredor fica tomado…

 Da velha cidade sobrou pouco após a destruição e bombardeio da Primeira Guerra. Antigos clássicos e coloridos pédios foram substituídos após o regime comunista pelos famosos prédios soviéticos-socialistas. Gigantescos blocos de concreto muitas vezes com altas portas e colunas. Verdadeiros monstros que intimidavam e oprimiam qualquer um que o olhasse de baixo. Talvez fosse essa a razão da arquitetura…, dizem! Todos da mesma cor cinza para combinar com o céu! Somado aos resquícios de neve pelo chão cinzas com a poeira e sujeira de cidade grande…, imaginem?

A arquitetura soviética opressora

 Mas gostamos muito de Kiev! Era até engraçado tentarmos nos comunicar. Para comprar o trem para Liviv, próxima cidade, tive que desenhar para a atendente um trem, um sol depois uma lua e depois outro sol para dizer que era para o dia seguinte e uma cadeira para dizer que não queríamos ir de Sleeping (cama). Fiquei meia hora com uma moça da lanchonete para pedir um croissant de queijo. Desenhei também mas devo ser muito ruim neste quesito pois ela me deu um de salcicha! Pior foi Bife no supermercado tentando achar o leite: fez a mímica como se tivesse ordenhando uma vaca mas sem a vaca…, imaginem o que a mulher do supermercado deve ter pensado?

Monastério – Kiev

 Muitas Igrejas para pouco Lenin…! Como ex-integrante da União Soviética achamos que encontraríamos mais história por aqui só que não gostam de falar, não querem lembrar e nem incitar as pessoas com exposições do comunismo ou um museu sobre o assunto! O mais perto que chegamos foi um restaurante que manteve a decoração da época!

 Um dos museus vale o comentário: Chernobyl! Tivemos que nos contentar com ele, tristes por não termos conseguido “ir” à Chernobyl ver “a cidade ainda radioativa abandonada”. Tem que reservar com 15 dias de antecedência, tempo para conseguir uma autorização do Governo. Coloca-se uma roupa específica tipo um astronauta e máscara e por 3 horas você consegue ver a cidade que demorou o mesmo tempo para ser inteira evacuada! Casas do jeito que foram deixadas e vestígio dos últimos momentos de muitos que morreram pela radiação… O governo na época não quis alarmar e demorou muito para dar a ordem de evacuação…, com isso cancer e mais cancer brotou fora as mortes pela radiação aguda! Dizem que o rio Dnipro que abastece toda Kiev ainda é contaminado…, outros dizem que é seguro…, vai saber? Eu é que não comi peixe por lá!!!

 Em 6h de um trem expresso chegaremos em Liviv, quase fronteira com a Polônia!!!

O Rio Dnipro com a cidade ao fundo – radioativo?

Beleza Ucraniana

in Europa, Ucrania

Tradução


Continentes

  • América Central-Caribe (1)
  • SlideShow (5)

Contato

Entre em contato conosco !

Respeitamos sua privacidade.